Bula do Lacril (Colírio)

LacrilBula do lacril ®:

álcool polivinílico 1,4%

Lubrificante Ocular

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO

Frasco plástico conta-gotas contendo 15 ml de solução oftálmica estéril.

USO ADULTO

COMPOSIÇÃO: Cada ml contém: 14,0 mg de álcool polivinílico. Excipientes: cloreto de sódio, cloreto de benzalcônio, edetato dissódico, fosfato de sódio dibásico heptaidratado, fosfato de sódio monobásico monoidratado, ácido clorídrico, hidróxido de sódio e água purifi cada q.s.p.

INFORMAÇÃO AO PACIENTE

• Ação esperada do medicamento: alívio dos sintomas causados pela síndrome de olho seco ou pela má lubrifi cação de lentes de contato rígidas.

• Cuidados de armazenamento: o produto deve ser armazenado a temperatura ambiente (entre 15˚C a 30˚C). Após abertura do frasco, não toque a ponta do mesmo a fi m de evitar contaminações. Feche o frasco imediatamente após o uso.

• Prazo de validade: vide cartucho. Não use medicamento com prazo de validade vencido.

• Gravidez e lactação: informe seu médico a respeito da ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término. Informe seu médico se está amamentando.

• Cuidados de administração: instile a dose recomendada, no saco conjuntival, evitando tocar a ponta do frasco nos tecidos oculares. Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

• Interrupção do tratamento: não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

• Reações adversas: informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

• Contra-indicações e Precauções: informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.

NÃO USE REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE.

Informação Técnica

Farmacologia clínica: Lacril® (álcool polivinílico) é um lubrifi cante ocular que forma uma película protetora sobre os tecidos oculares, proporcionando uma imediata sensação de conforto ao ser instilado. É uma lágrima artifi cial, formulada especialmente para substituir a lágrima natural nas condições em que haja defi ciência ou mesmo ausência de secreção lacrimal. Proporciona uma sensação de conforto e bem-estar nos pacientes com olhos secos e protege os tecidos oculares contra os danos causados pela fricção das pálpebras durante o ato de piscar, além de favorecer a regeneração do tecido epitelial eventualmente lesado. É opticamente cristalino e por isso não causa embaçamento da visão. Lubrifica e conforta os olhos secos, pois elimina imediatamente a desagradável sensação de “areia nos olhos”.

Indicações

É indicado como lágrima artifi cial em todas as condições em que se torna necessária uma suplementação lacrimal, como na síndrome do olho seco e na lubrifi cação de prótese ocular.

Lacril® (álcool polivinílico) também é indicado aos usuários de lentes de contato convencionais (lentes rígidas acrílicas ou gás permeáveis). A delicada camada protetora e amortecedora que se forma entre a lente e a córnea permite uma rápida umidificação o que favorece a adaptação de lente de contato e seu uso por períodos mais prolongados.

Contra-Indicações

Hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

Precauções e Advertências

Caso persista a irritação ou o desconforto ocular, descontinue o uso e consulte um oftalmologista.

Interações Medicamentosas

Não são conhecidas interações medicamentosas.

Reações Adversas

Raros casos de ardor ou pontadas à instilação.

Posologia Instile 1 ou 2 gotas em cada olho, tantas vezes quantas forem necessárias para manter uma adequada lubrificação ocular ou de acordo com orientação médica. S

uperdosagem

Em geral, superdosagens não provocam problemas agudos. Se acidentalmente for ingerido, beber bastante líquido para diluir.

Pacientes Idosos

Não existem restrições de uso em pacientes idosos. A posologia é a mesma que a recomendada para as outras faixas etárias. NOTA: Não deve ser usado com lentes de contato gelatinosas (hidrofílicas).

SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR, NÃO DESAPARECENDO OS SINTOMAS, PROCURAR ORIENTAÇÃO MÉDICA

Nº de lote, data de fabricação e prazo de validade: vide cartucho.

Reg. ANVISA/ MS – 1.0147.0161

Farm. Resp.: Dra. Flávia Regina Pegorer CRF-SP nº 18.150

Bula do Refresh (Colírio)

RefreshBula do REFRESH®:

álcool polivinílico 1,4% povidona 0,6%

FORMA FARMACÊUTICA, VIA DE ADMINISTRAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Solução Oftálmica Via de administração tópica ocular

Caixa com 32 flaconetes plásticos para aplicação em dose única contendo 0,4 ml de solução oftálmica estéril, sem conservante.

USO ADULTO

COMPOSIÇÃO

SOLUÇÃO OFTÁLMICA

Cada ml contém: 14 mg de álcool polivinílico e 6 mg de povidona.

Veículo: cloreto de sódio e água purificada q.s.p.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

AÇÃO DO MEDICAMENTO

REFRESH® (álcool polivinílico, povidona) age como lágrima artificial e é formulado especialmente para pacientes que necessitam com freqüência de alívio nos casos de “secura ocular”. O efeito se inicia logo após a aplicação e é observado com o decorrer do tratamento.

INDICAÇÕES DO MEDICAMENTO

REFRESH ® (álcool polivinílico, povidona) é indicado para uso como lubrificante nos casos de “olho seco”, como lágrima artificial e para aliviar o desconforto e irritação causados pelo uso de lentes de contato.

RISCOS DO MEDICAMENTO Contra-indicações REFRESH® (álcool polivinílico, povidona) não deve ser utilizado por pacientes com sensibilidade conhecida a qualquer dos componentes da fórmula. Advertências e Precauções Caso apareça dor ocular, alterações da visão, vermelhidão ou irritação contínua do olho ou se persistir a condição ocular por mais de 72 horas, o paciente deve descontinuar o uso do produto e consultar o oftalmologista para reavaliação do quadro clínico. Interações medicamentosas Não são conhecidas interações com outros medicamentos. Restrições a grupos de risco Não deve ser utilizado durante a gravidez e a amamentação, exceto sob orientação médica. Informe ao seu médico ou cirurgião dentista se ocorrer gravidez ou se iniciar a amamentação durante o uso deste medicamento. Este medicamento é contra-indicado na faixa etária abaixo de 18 anos. Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista o aparecimento de reações indesejáveis. Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

MODO DE USO:

• REFRESH® (álcool polivinílico, povidona) é uma solução levemente amarelada e inodora. • Você deve usar este medicamento exclusivamente nos olhos.

• Assegure-se de que o flaconete está intacto antes de usar. Para abrir, gire totalmente a ponteira. Não puxe. Instile a dose recomendada, no saco conjuntival.

• A solução já vem pronta para uso. Não encoste a ponta do flaconete nos olhos, nos dedos e nem em outra superfície qualquer, para evitar a contaminação.

• Você deve aplicar 1 ou 2 gotas no(s) olho(s) afetado(s) sempre que necessário, ou de acordo com orientação médica.

• Se você usa lentes de contato gelatinosas ou hidrofílicas, tire as lentes antes de aplicar REFRESH®. Aguarde pelo menos 15 minutos para recolocar as lentes após a aplicação do colírio.

• Se você for utilizar REFRESH® concomitantemente com outros colírios, aguarde um intervalo de pelo 5 minutos entre a aplicação de cada medicamento.

• Não reutilize o flaconete. Uma vez aberto, descarte. Se a solução apresentar mudança de cor ou tornar-se turva, não utilize.

• Siga corretamente o modo de usar. Não desaparecendo os sintomas, procure orientação médica

• Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Antes de usar observe o aspecto do medicamento.

REAÇÕES ADVERSAS

REFRESH® (álcool polivinílico, povidona) em geral é bem tolerado. Informe ao seu médico o aparecimento de reações desagradáveis. Se surgir dor ocular, alterações de visão, vermelhidão ou irritação contínua do olho, ou se persistir ou piorar a afecção ocular por mais do que 72 horas, descontinue o uso do produto e consulte seu médico. Avise o seu médico se aparecerem reações desagradáveis.

CONDUTA EM CASO DE SUPERDOSE

Em geral, superdoses não provocam problemas agudos. Se, acidentalmente for ingerido, beba bastante líquido para diluir, ou procure orientação médica. CUIDADOS DE CONSERVAÇÃO E USO REFRESH® deve ser mantido em temperatura ambiente (entre 15ºC e 30ºC) e ao abrigo da luz. Prazo de validade: 24 meses após a data de fabricação (vide cartucho). Não use medicamento com prazo de validade vencido.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS

INFORMAÇÕES TÉCNICAS AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS

Descrição REFRESH® (álcool polivinílico, povidona) age como lágrima artificial sob a forma de solução estéril não preservada, acondicionada em flaconetes para uso como dose única. É formulado especialmente para pacientes que necessitam com freqüência de alívio nos casos de secura ocular e usuários de lentes de contato. Farmacodinâmica REFRESH® (álcool polivinílico, povidona) é uma solução oftálmica estéril, livre de preservativos, que contém polímeros hidrofílicos que estabilizam o filme de lágrima, e, através desta estabilização proporcionam um alívio dos sintomas, constituindo-se em formulação caracterizada por agir apenas mecanicamente sobre a superfície ocular. O álcool polivinílico é um surfactante que age como agente viscoso protetor, umectante e lubrificante do epitélio e a povidona é incluída na preparação como agente dispersor. Estas substâncias conferem ao produto propriedades de semelhança com a própria lágrima natural do organismo, podendo agir como lágrimas artificiais.

Farmacocinética

A solução não apresenta atividade farmacológica e age apenas de modo mecânico, e não sofre absorção depois de aplicada sobre a superfície ocular. A solução se mistura com o filme de lágrima produzindo nele significativas alterações e facilitando sua dispersão sobre a superfície ocular.

INDICAÇÕES

REFRESH® (álcool polivinílico, povidona) é indicado para uso como lubrificante nos casos de “olho seco”, como lágrima artificial e para aliviar o desconforto e irritação causados pelo uso de lentes de contato.

CONTRA-INDICAÇÕES

REFRESH® (álcool polivinílico, povidona) não deve ser utilizado por pacientes com sensibilidade conhecida a qualquer dos componentes da fórmula.

MODO DE USAR E CUIDADOS DE CONSERVAÇÃO DEPOIS DE ABERTO

Condições de conservação: manter em temperatura ambiente (entre 15ºC e 30ºC) e ao abrigo da luz. Manuseio e aplicação: A solução contida no flaconete deve ser utilizada imediatamente após sua abertura e o conteúdo restante do flaconete deve ser descartado imediatamente depois do uso do produto. Não reutilizar solução que tenha restado no flaconete, pois a solução não contém conservantes. Não permitir que a ponta do flaconete encoste-se ao olho durante a aplicação nem em qualquer outra superfície depois de aberto para que não ocorra contaminação da solução. Via de administração: tópica oftálmica.

POSOLOGIA

Instilar 1 ou 2 gotas no(s) olho(s) afetado(s) sempre que necessário, ou de acordo com critério médico.

ADVERTÊNCIAS

Cuidados Informação aos usuários de lentes de contato: as lentes de contato devem ser retiradas antes da instilação de REFRESH® e podem ser recolocadas depois de 15 minutos após a administração do colírio. Quando mais de um colírio estiver sendo utilizado pelo paciente, deve ser respeitado o intervalo de pelo menos cinco minutos entre a administração dos medicamentos. Caso apareça dor ocular, alterações da visão, vermelhidão ou irritação contínua do olho ou se persistir a condição ocular por mais de 72 horas, o paciente deve descontinuar o uso do produto e consultar o oftalmologista para reavaliação do quadro clínico.

Gestação e Lactação

Não foram realizados estudos sobre eficácia e segurança de REFRESH® (álcool polivinílico, povidona) em mulheres durante a gestação e lactação. Entretanto, por suas características de medicamento de atividade tópica ocular do tipo mecânico, exclusivamente local sobre o filme de lágrima, comparável às lágrimas naturais, não é esperada toxicidade da emulsão presente no REFRESH ® (álcool polivinílico, povidona) em relação à gestação e lactação. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que estejam amamentando sem orientação médica ou do cirurgião dentista.

USO EM IDOSOS, CRIANÇAS E OUTROS GRUPOS DE RISCO.

Não há recomendações especiais com relação ao uso de REFRESH® (álcool polivinílico, povidona) solução oftálmica em pacientes idosos. A posologia é a mesma que a recomendada para as outras faixas etárias. REFRESH® (álcool polivinílico, povidona) solução oftálmica é produto de uso adulto, não sendo indicado para crianças.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Não são conhecidas interações com outras substâncias.

REAÇÕES ADVERSAS A MEDICAMENTOS REFRESH® (álcool polivinílico, povidona) em geral é bem tolerado, não sendo previstas reações adversas ao produto. O paciente deve ser advertido que se surgir dor ocular, alterações de visão, vermelhidão ou irritação contínua do olho, ou se persistir ou piorar a afecção ocular por mais do que 72 horas, ele deve descontinuar o uso do produto e consultar o oftalmologista para reavaliação do quadro clínico.

SUPERDOSE

Em geral, superdoses não provocam problemas agudos. Se, acidentalmente for ingerido, deve-se recomendar ao paciente ingerir bastante líquido para diluir, ou procurar orientação médica.

ARMAZENAGEM

O produto deve ser armazenado em temperatura ambiente (entre 15° C e 30° C) e ao abrigo da luz. Nº de lote e data de fabricação: vide cartucho.

Reg. ANVISA/MS – 1.0147.0143 Farm. Resp.: Dra. Flávia Regina Pegorer CRF-SP n.º 18.150

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA Qualidade e Tradição a Serviço da Oftalmologia Fabricado por: Allergan Sales, LLC – Texas – EUA

Importado e Distribuído por: ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA

Av. Guarulhos, 3272 – CEP 07030-000- – Guarulhos – SP CNPJ no 43.426.626/0009-24

Indústria Brasileira

Serviço de Atendimento ao Consumidor 0800 14 40 77 Discagem Direta Gratuita. ® Marca Registrada

Bula do Lacrima Plus (Colírio)

Lacrima-PlusBula do LACRIMA® PLUS:

dextrana 70-hipromelose (duasorb*)

Solução Oftálmica Lubrificante Estéril

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

APRESENTAÇÃO: Frascos plásticos conta-gotas contendo 15ml.

COMPOSIÇÃO:

Cada ml contém: Duasorb (sistema polimérico solúvel em água) contendo dextrana 70 0,001g e hipromelose 0,003g.

Veículo constituído de borato de sódio, cloreto de sódio, cloreto de potássio, Polyquad® (poliquaternium-1) como conservante e água purificada q.s.p. 1,0 ml.

INFORMAÇÃO AO PACIENTE: Conserve o produto em temperatura ambiente. O prazo de validade está gravado na embalagem do medicamento. Não use medicamento com prazo de validade vencido. Para evitar a contaminação da solução não toque o conta-gotas do frasco em qualquer superfície. Não use a solução se estiver com a cor alterada ou turva. Em caso de ingestão acidental, procure o médico.

EXCLUSIVAMENTE PARA USO TÓPICO OCULAR.

Se a irritação persistir por mais de 72 horas, interrompa o uso e consulte seu oftalmologista.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

INFORMAÇÃO TÉCNICA: INDICAÇÕES: Para o alívio temporário da irritação e ardor devidos ao olho seco. Para o alívio temporário do desconforto devido a pequenas irritações do olho ou a exposição ao vento ou sol.

ADVERTÊNCIAS: Na ocorrência de dor, alterações na visão, vermelhidão ou irritação contínua do olho, ou se esta condição persistir por mais de 72 horas, interromper o uso do produto e consultar o oftalmologista. Se houver alteração da cor da solução ou esta se tornar turva, não usar o produto.

MODO DE USAR: Instilar 1 ou 2 gotas nos olhos afetados, sempre que necessário. Lote, fabricação e validade: vide cartucho.

MS 1.0023.0077

CONSERVE EM TEMPERATURA AMBIENTE.

Farm. Resp.: Lygia C. Piazza CRF-SP No. 8066

ALCON LABORATÓRIOS DO BRASIL LTDA. Av. N. S. da Assunção, 736 05359-001 São Paulo SP CNPJ 60.412.327/0013-36 Indústria Brasileira Serviço de Atendimento ao Consumidor: 0800-7077908 Alcon

Bula do Garasone (Antibiótico)

GarasoneBula do GARASONE®:
sulfato de gentamicina +
fosfato dissódico de betametasona
Solução Oto/Oftálmica

 

FORMAS FARMACÊUTICAS/APRESENTAÇÃO

 

GARASONE apresenta-se em frascos com 10 ml.
USO ADULTO E PEDIÁTRICO (acima de 8 anos)
Cada ml de GARASONE Solução Oto/Oftálmica contém 3 mg de gentamicina, sob a forma de
sulfato e 1 mg de fosfato dissódico de betametasona.
Excipientes: cloreto de benzalcônio, metabissulfito de sódio, fosfato de sódio monobásico, fosfato
de sódio dibásico, citrato de sódio, borato de sódio, edetato dissódico, cloreto de sódio, água para
injeção.
Uso Oto/oftálmico

 

INFORMAÇÃO AO PACIENTE
GARASONE deve ser conservado em temperatura ambiente (15°C a 30°C), protegido da luz.
O prazo de validade de GARASONE Solução Oto/Oftálmica encontra-se gravado na embalagem
externa. Em caso de vencimento, inutilize o produto.
Informe seu médico a ocorrência de gravidez durante a vigência do tratamento ou após seu
término.
Informar ao médico se está amamentando.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do
tratamento.
Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.

 

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

 

Informar ao médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o
tratamento.
Este medicamento é contra-indicado para uso em crianças menores de 8 anos.

 

NÃO USE REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO
PARA A SAÚDE.

 

INFORMAÇÕES TÉCNICAS
GARASONE Solução Oto/Oftálmica combina a potente ação antiinflamatória e antialérgica do
fosfato dissódico de betametasona com o efeito bactericida de amplo espectro da gentamicina.
A betametasona é um derivado sintético da prednisolona, que oferece vantagem sobre os outros
corticosteróides porque produz maior efeito antiinflamatório com o emprego de baixas doses.
O fosfato dissódico de betametasona exerce seu efeito tópico antiinflamatório nos olhos,
suprimindo a exsudação celular e fibrinosa e normalizando a permeabilidade de capilares
inflamados.
Em ensaios in vivo, espécies estafilocócicas respondem favoravelmente à Solução Oto/Oftálmica.
O sulfato de gentamicina é ativo in vitro contra ampla variedade de bactérias patógenas Gramnegativas
e algumas Gram-positivas; estafilococos coagulase-positivos e coagulase-negativos,
Escherichia coli, espécies de Proteus (indol-positivo e indol-negativo), Pseudomonas aeruginosa,
espécies do grupo Klebsiella-Enterobacter-Serratia, espécies de Citrobacter, Salmonella, Shigella,
Moraxella, Serratia e Neisseria, particularmente o gonococo.

 

INDICAÇÕES
GARASONE Solução Oto/Oftálmica está indicado para o tratamento de inflamação ocular, quando
for necessário o uso concomitante de um agente antimicrobiano.
GARASONE também está indicado no tratamento de lesões do conduto auditivo externo, como
otite externa aguda ou crônica, dermatite eczematosa, dermatite seborréica e dermatite por contato
com infecção secundária produzida por microorganismos sensíveis à gentamicina.

 

CONTRA-INDICAÇÕES
GARASONE Solução Oftálmica está contra-indicado em casos de ceratite epitelial causada
por herpes simples (ceratite dendrítica), vacínia, varicela e afecções viróticas da córnea e
conjuntiva, infecções fúngicas ou microbacterianas dos olhos ou do ouvido, tracoma ou
hipersensibilidade a quaisquer dos componentes de sua fórmula. É contra-indicado o uso
de combinações de corticosteróides/antibióticos após remoção de corpo estranho da
córnea.
GARASONE Solução Oto/Oftálmica está contra-indicado em pacientes com ausência ou
perfuração das membranas timpânicas.
Como com todos os produtos oftálmicos que contêm cloreto benzalcônio, os pacientes
devem ser aconselhados a não utilizar lentes de contato flexíveis durante o tratamento com
GARASONE Solução Oto/Oftálmica.

 

PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS
GARASONE Solução Oto/Oftálmica só deve ser usado topicamente. Não deve ser injetado
por via subconjuntival ou aplicado diretamente dentro da câmara ocular.
Se a resposta clínica imediata não for obtida com o uso de GARASONE Solução
Oto/Oftálmica, deverá ser realizada nova avaliação.
Cultivo das pálpebras e provas de sensibilidade patogênica poderão ser necessários se os
sinais e sintomas persistirem ou retornarem após o tratamento recomendado.
Quando GARASONE Solução Oto/Oftálmica for aplicado no olho por 10 dias ou mais, a
pressão intra-ocular deverá ser monitorada, recomendando-se exame com lâmpada de
fenda e tonometria. Pacientes suscetíveis ao aumento da pressão intra-ocular, conseqüente
ao uso de corticosteróides tópicos, incluem os que possuem antecedentes familiares, os
portadores de glaucoma do ângulo estreito, miopia de alto grau e diabetes.
Nas patologias que causam adelgaçamento da córnea ou esclera, pode haver perfuração
com o uso de corticosteróides tópicos, razão pela qual não é recomendável o tratamento
inicial de úlceras da córnea de origem bacteriana, que podem ter como agente etiológico
Pseudomonas aeruginosa, com uma associação de antibiótico/antiinflamatório. É prudente
usar, no início, apenas o agente antiinfeccioso. Se a infecção responder à terapia
antiinfecciosa, sugerir-se-á então a adição de agente antiinflamatório para reduzir a reação
fibrosa e cicatricial da córnea.
As preparações que contêm corticosteróides devem ser usadas com extrema cautela no
tratamento de herpes simples.
Deve-se considerar o potencial de toxicidade para o oitavo par craniano, durante o uso de
GARASONE Solução Oto/Oftálmica no conduto auditivo externo.
No decurso das lesões purulentas, os corticosteróides poderão mascarar a infecção ou
incrementá-las.
Estudos experimentais em animais têm demonstrado que pode ocorrer absorção sistêmica
com a gentamicina, em aplicação tópica no canal auditivo externo, uma vez que se têm
detectado restos do fármaco no plasma e na urina depois de sua administração por esta via.
O uso tópico prolongado de antibióticos ou corticosteróides pode propiciar o
desenvolvimento de microorganismos não sensíveis e de fungos. Caso isto ocorra, ou
mesmo em presença de irritação ou hipersensibilidade ao GARASONE Solução
Oto/Oftálmica, deve-se descontinuar o seu uso e instituir terapia adequada.
Demonstrou-se reação alérgica cruzada entre aminoglicosídeos e corticosteróides. Para
evitar contaminação e infecção cruzada, não se deve usar o mesmo frasco para o
tratamento de infecções oftálmicas e otológicas. Pode ocorrer contaminação da solução se
a ponta do conta-gotas tocar qualquer superfície. O uso do mesmo frasco por mais de uma
pessoa pode contribuir para a propagação da infecção.
GARASONE Solução Oto/Oftálmica contém sulfitos, os quais podem causar reações
alérgicas, incluindo sintomas anafiláticos e episódios asmáticos potencialmente fatais ou
menos graves, em indivíduos sensíveis.

 

Uso durante gravidez e lactação
GARASONE Solução Oto/Oftálmica não deve ser usado em mulheres grávidas, a menos que
o benefício potencial para a mãe justifique o risco para o feto.
Não se sabe se os componentes de GARASONE Solução Oto/Oftálmica são excretados no
leite materno. A amamentação deverá ser descontinuada quando o produto estiver sendo
utilizado. Deve-se ter cuidado quando GARASONE Solução Oto/Oftálmica for administrado
para lactantes.

 

Uso pediátrico
A segurança e eficácia de GARASONE Solução Oto/Oftálmica em crianças menores de 8
anos de idade ainda não estão estabelecidas.

REAÇÕES ADVERSAS
As preparações oto/oftálmicas podem produzir ardor temporário após a aplicação.
Os efeitos adversos relatados com o uso de corticosteróides oftálmicos incluem: aumento
da pressão intra-ocular; glaucoma; dano infreqüente do nervo óptico; alterações do campo
e da acuidade visuais; formação de catarata subcapsular posterior; retardo na cicatrização
de lesões; infecção ocular secundária causada por patógenos que incluem herpes simples,
ampola filtrante posterior a cirurgia de catarata, uveíte anterior aguda e perfuração do globo
ocular. Ocasionalmente, podem ocorrer midríase, perda da acomodação e ptose, após o
tratamento com corticosteróides. Pode ocorrer hipersensibilidade alérgica com o uso de
antibióticos por via oftálmica. Há relatos de casos de irritação ocular transitória com a
aplicação oftálmica de sulfato de gentamicina.

 

POSOLOGIA
Uso oftálmico:
– A posologia de GARASONE Solução Oto/Oftálmica deve ajustar-se às necessidades de cada
caso e de acordo com a orientação médica. A duração do tratamento tópico deverá variar de
acordo com o tipo e a gravidade da lesão ocular. De um modo geral, recomenda-se aplicar 1 a
2 gotas de GARASONE Solução Oto/Oftálmica no fundo do saco conjuntival do olho afetado, 3
a 4 vezes por dia. Nos casos agudos, esta freqüência poderá ser aumentada para até 2 gotas
de hora em hora ou de 2 em 2 horas, reduzindo-se a dose tão logo se obtenha o controle da
afecção.

 

Uso otológico:
– Limpe cuidadosamente o cerume e a descamação do conduto auditivo externo. A posologia
inicial de GARASONE Solução Oto/Oftálmica é de 3 a 4 gotas, 2 a 4 vezes por dia. O paciente
deverá deitar-se com o ouvido afetado para cima e permanecer nesta posição por alguns
minutos após ter sido pingada a solução, a fim de assegurar a penetração da medicação no
conduto auditivo. Reduzir a posologia gradativamente assim que houver resposta favorável, e
interromper o tratamento quando a cura for obtida. Pode-se introduzir uma mecha de algodão
embebida com a solução no conduto auditivo. Esta mecha deverá ser mantida úmida,
adicionando-se mais solução a cada 4 horas. A mecha deverá ser trocada no mínimo a cada 24
horas.
Em casos crônicos oftálmicos ou otológicos, a retirada do medicamento deve ser realizada
gradativamente (reduzindo-se a freqüência da aplicação).

 

SUPERDOSAGEM
O uso excessivo e prolongado de corticosteróides tópicos pode suprimir a função hipófise/suprarenal,
resultando em insuficiência córtico-supra-renal secundária. Uma só superdose de
gentamicina não deverá produzir sintomas.

 

Tratamento
O tratamento adequado para a superdose é sintomático. Os sintomas hipercorticóides agudos são
reversíveis. Se necessário, deve-se restabelecer o equilíbrio eletrolítico. Em caso de toxicidade
crônica, recomenda-se a supressão gradual da corticoterapia.
Apesar de apenas uma superdose com gentamicina não requerer tratamento, a depuração do
fármaco pode ser efetuada por hemodiálise ou diálise peritoneal, com a qual cerca de 80% a 90%
será eliminado da circulação durante 12 horas (hemodiálise). A diálise peritoneal parece ser menos
eficaz.

 

MS 1.0093.0047
Farm. Resp.: Lucia Lagos Hammes CRF-RJ 2.804
MANTECORP INDÚSTRIA QUÍMICA E FARMACÊUTICA LTDA.
Estrada dos Bandeirantes, 3.091 – Rio de Janeiro – RJ
CNPJ.: 33.060.740/0001-72 – Indústria Brasileira
®Marca registrada
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
Central de Atendimento 08000117788 – Cx. Postal 18388 – CEP 04626-970
O número do lote, a data de fabricação e o término do prazo de validade, estão gravados na
embalagem externa deste produto.
gae7/jul/06

Bula do Decadron (Antibiótico)

DecadronBula do DECADRON COLÍRIO:
fosfato dissódico de dexametasona
sulfato de neomicina
Solução ocular (colírio) em frasco com 5 ml de solução estéril

 

USO ADULTO E PEDIÁTRICO
USO OCULAR

 

Composição completa:
Cada ml contém:
fosfato dissódico de dexametasona (equivalente a 1,0 mg de dexametasona ácido fosfórico) ………
………………………………………………………………………………………………………………………………1, 21 mg
sulfato de neomicina (equivalente a 3,5 mg de neomicina)…………………………………………… 5,0 mg
Excipientes: creatinina, citrato de sódio, borato de sódio, polissorbato 80, edetato dissódico
diidratado, ácido clorídrico, cloreto de benzalcônio, bissulfito de sódio e água para injeção

 

INFORMAÇÃO AO PACIENTE:
DECADRON COLÍRIO é uma solução ocular que proporciona atividade antiinflamatória e an ti bac te –
riana, possibilitando o controle de alguns distúrbios oftálmicos e do conduto auditivo externo.
DECADRON COLÍRIO, quando conservado em temperatura ambiente (temperatura entre 15 e 30 ° C), ao
abri go da luz e umidade, apresenta um prazo de validade de 24 meses.

 

NUNCA USE MEDICAMENTO COM O PRAZO DE VALIDADE VENCIDO. ALÉM DE NÃO OBTER

 

O EFEITO DESEJADO, PODE PREJUDICAR A SUA SAÚDE.

 

Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término.
Informar ao médico se está amamentando.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Informe seu médico o aparecimento
de reações desagradáveis, tais como: queimação, sensação de picadas ou reações alérgicas.

 

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS

 

DECADRON COLÍRIO está contra-indicado na presença de lesão tuberculosa ocular infectante,
catapora, infecções da córnea e conjuntiva por vírus e hipersensibilidade a qualquer componente
do produto.
Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o
tra tamento.
Não deve ser utilizado durante a gravidez e a lactação. DECADRON COLÍRIO não foi estudado em
gestantes ou nutrizes.

 

NÃO TOME REMÉDIO SEM A ORIENTAÇÃO DE SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA
SUA SAÚDE.

 

INFORMAÇÃO TÉCNICA:
DECADRON COLÍRIO com neomicina é uma solução oftálmica tópica de antibiótico e corticosteróide,
para uso em certas afecções do segmento anterior do olho e seus anexos e do conduto
auditivo externo. Proporciona a atividade antiinflamatória do fosfato dissódico de dexa me tasona,
e atividade antibacteriana da neomicina, permitindo assim o controle de muitos distúrbios, nos
quais a ação combinada de dois agentes é necessária. Os corticosteróides atuam por ini bição da
resposta inflamatória a agentes estimulantes de natureza química, mecânica ou imu noló gi ca. O
sulfato de neomicina, agente antibacteriano da combinação, foi incluído para proporcionar ação
específica contra os organismos sensíveis. O sulfato de neomicina é considerado ativo princi pal –
mente contra organismos Gram-negativos, as exceções incluem Bacteróides sp e Pseu do mo nas
aeruginosa que são resistentes.
Os organismos Gram-positivos, com exceção para Staphylococcus aureus, que são resistentes.
DECADRON COLÍRIO exerce sua ação principal no segmento anterior do olho (córnea e úvea
anterior) e as afecções agudas respondem melhor do que as crônicas. Os casos de oftalmopatias
anteriores refratárias podem requerer o uso de corticosteróides sistêmicos. A tera pia sistêmica é
necessária quando as estruturas oculares mais profundas estão envolvidas.

 

MICROBIOLOGIA – O sulfato de neomicina é ativo contra os seguintes patógenos bacterianos oculares
comuns: Staphylococcus aureus, Escherichia coli, Haemophilus influenzae, Klebsiella / Ente –
ro bacter sp, Neisseria sp.
Entretanto, não há cobertura adequada contra: Pseudomonas aeruginosa, Serratia marcescens,
Strep tococcus, incluindo S. pneumoniae, Bacteróides sp.

 

Indicações:
Oftálmicas: DECADRON COLÍRIO pode ser usado no tratamento das condições inflamatórias
responsivas a corticosteróides do segmento anterior do olho e seus anexos, quando complicadas
por infecção causada por microorganismos sensíveis à neomicina, tais como: ceratite superficial,
incluindo le sões epiteliais puntatas (tipo Thygeson) e cerato-conjuntivite flictenular.
Ceratite profunda, incluindo ceratite intersticial ou parenquimatosa, ceratite da acne rosácea e ce –
ratite esclerosante. Herpes zoster oftálmico (não deve ser usada na ceratite epitelial pelo herpes
sim ples). Conjuntivite (incluindo primaveril, alérgica, catarral e não-purulenta). Iridociclite ou irite a gu –
da leve. Ulceração marginal recorrente, endógena ou devido a quadros alérgicos por contato ou a to –
pia e à alergia microbiana. Lesões corneanas, tais como queimaduras assépticas, térmica, ra dio a –
tiva, por produtos químicos ou após procedimentos cirúrgicos ou penetração de corpos estra nhos.
Blefarite, incluindo catarral, não-purulenta e alérgica. A inclusão da neomicina na preparação permite
o uso em muitas alterações do olho e do conduto auditivo externo, responsivas a corticos te –
róides, em que a infecção causada por organismos sensíveis à neomicina é um problema agra –
vante. Através da supressão dos fenômenos inflamatórios da uveíte anterior, o glaucoma se cun dá –
rio da uveíte pode ser controlado indiretamente com DECADRON COLÍRIO. O tratamento, entretanto,
não de ve ser prolongado indevidamente e a pressão ocular deve ser medida com frequência.

 

Otológicas: DECADRON COLÍRIO pode também ser usado no tratamento de certas afecções do
conduto auditivo externo, quando complicadas por infecções causadas por organismos sensíveis à
neomici na. O uso é recomendado na neurodermite localizada, dermatite seborréica, eczema e otite
externa difusa (se o tímpano estiver íntegro).

 

Contra-indicações:
DECADRON COLÍRIO É CONTRA-INDICADO EM CERATITE EPITELIAL PELO HERPES SIMPLES
(CERATITE DENDRÍTICA); ESTÁGIOS INFECCIOSOS AGUDOS DA VARICELA E A MAIORIA
DAS OUTRAS DOENÇAS VIRÓTICAS DA CÓRNEA E CONJUNTIVA; INFECÇÕES
MICOBACTERIA NAS DO OLHO E OUVIDO; DOENÇAS FÚNGICAS DO OLHO E OUVIDO;
INFECÇÕES DO OLHO E OUVIDO CAUSADAS POR ORGANISMOS RESISTENTES À NEO –
MICI NA. PER FURA ÇÕES DA MEMBRANA TIMPÂNICA. HIPERSENSIBILIDADE A QUALQUER
COMPONENTE DES TE PRODUTO.

 

Precauções e Advertências:
O USO DE PRODUTOS CORTICOSTERÓIDES OFTÁLMICOS OU COMBINAÇÕES DE
CORTICOSTERÓIDES E ANTIBIÓTICOS GERALMENTE NÃO É INDICADO APÓS A REMOÇÃO
NÃO-COMPLICADA DE CORPOS ESTRANHOS CORNEANOS SUPERFICIAIS. O EMPREGO
DE ME DI CAÇÃO COM CORTICOSTERÓIDES NO TRATAMENTO DE HERPES SIMPLES
ESTROMAL RE QUER GRANDE CUIDADO, SÃO OBRIGATÓRIAS AS FREQUENTES AVA –
LIAÇÕES COM A LÂM PADA DE FENDA. O EXAME PERIÓDICO DO OLHO DEVE INCLUIR A
AVALIAÇÃO CUIDADOSA DA CÓRNEA E DO CRISTALINO, EM PACIENTES SOB TERAPIA
PROLONGADA OU RE PE TIDA COM ESTES AGENTES. FORAM RELATADOS CASOS DE ADELGAÇAMENTO
DA CÓR NEA E CATARATA APÓS USO PROLONGADO DE ALGUNS CORTI –
COSTERÓIDES TÓ PI COS. A APLICAÇÃO DE CORTICOSTERÓIDES PODE EXA CER BAR, ATIVAR
OU MASCARAR IN FECÇÕES FÚNGICAS, BACTERIA NAS OU VIRÓTICAS DO OLHO. SE
AS INFECÇÕES NÃO RES PONDEREM PRONTAMENTE, DEVE-SE SUSPENDER O USO DE
DECADRON COLÍRIO, ATÉ QUE O QUADRO TENHA SIDO CONTROLADO ADEQUADAMENTE.
AS INFECÇÕES FÚNGICAS DA CÓR NEA SÃO PARTICULARMENTE PROPENSAS A SE
DESENVOLVEREM COM O USO PROLONGADO DE CORTICOSTERÓIDE APLICADOS LOCALMENTE,
POR ISSO DEVE SER CONSIDERADA A POSSIBILIDADE DE INVASÃO POR FUNGOS
EM QUALQUER ULCERAÇÃO COR NEANA PERSISTENTE, QUANDO O CORTICOS TE RÓIDE
FOI OU ESTIVER SENDO USADO. ASSIM COMO COM OUTROS COR TI COS TERÓIDES, PRES –
SÃO INTRA-OCULAR ELEVADA PODE SEGUIR-SE AO USO PROLONGADO (UMA A DUAS
SEMANAS OU MAIS) DO FOSFATO DISSÓDICO DE DEXA METASONA TOPICAMENTE NO
OLHO. DURANTE TRATAMENTOS LONGOS, A PRESSÃO OCULAR DEVE SER MONITORIZADA
ROTI NEI RA MENTE. O USO DESTA PREPARAÇÃO DEVE SER INTERROMPIDO SE QUALQUER
REAÇÃO INDI CANDO HIPERSENSIBILIDADE FOR OBSERVADA. TRATAMENTOS PROLONGADOS
DE VEM SER EVITADOS, POIS AUMENTAM O RISCO DE HIPERSENSIBILIDADE À
NEOMICINA. DOENÇAS HEREDITÁRIAS OU DEGENERATIVAS DO OLHO GERALMENTE NÃO
MOSTRAM RESPOSTA A ESTAS PREPARAÇÕES.
USO EM GESTANTES E NUTRIZES: DECADRON COLÍRIO NÃO FOI ESTUDADO EM GESTANTES
OU NU TRIZES. PORTANTO, NÃO DEVE SER UTILIZADO DURANTE A GRAVIDEZ E
LACTAÇÃO.

 

Interações medicamentosas:
Não existem evidências suficientes que confirmem a ocorrência de interações clinicamente relevantes.

 

Reações adversas:
PODEM OCORRER EFEITOS COLATERAIS SISTÊMICOS APÓS O USO TÓPICO PROLONGADO
DE CORTICOSTERÓIDES. OS EFEITOS COLATERAIS MAIS FREQUENTES DECORREN –
TES DA PRESENÇA DO COMPONENTE ANTIINFECCIOSO SÃO AS SENSI BILIZAÇÕES ALÉR –
GICAS. OS E F E I TOS COLATERAIS DEVIDO AO CORTICOS TERÓIDE, EM ORDEM DECRESCENTE
DE FRE QUÊN CIA, SÃO: ELE VAÇÃO DA PRESSÃO INTRA-OCULAR (IOP) COM POS –
SÍVEL DESENVOLVIMENTO DE GLAUCOMA E RARAMENTE LESÃO DO NERVO ÓPTICO; FOR –
MAÇÃO DE CATARATA SUBCAPSULAR POSTERIOR E RETARDAMENTO DA CICA TRI ZA Ç ÃO.
OCASIONALMENTE, PODEM OCORRER QUEIMAÇÃO E SENSAÇÃO DE PICADAS. NAQUELAS
DOENÇAS QUE CAUSAM ADELGAÇAMENTO DA CÓRNEA OU DA ESCLERA, FOI RELA TADO
OCORRER PERFURAÇÃO COM O USO TÓPICO DE CORTICOSTERÓIDES. FOI RARAMENTE
RELATADO O APARECIMENTO DE HERPES SIMPLES OCULAR EM PACIENTES RE CE BENDO
CORTICOSTERÓIDE SISTEMICAMENTE OU, POR OUTRAS RAZÕES, TOPICAMENTE NO
OLHO. RARAMENTE, TAMBÉM, FORAM RELATADAS VESÍCULAS DE DRENAGEM, QUANDO
SE UTILIZOU CORTICOSTERÓIDES APÓS CIRURGIA DE CATARATA.

 

Posologia:
A duração do tratamento variará com o tipo de lesão e pode se estender de poucos dias a várias
sema nas, de acordo com a resposta terapêutica. As recaídas, mais comuns em lesões crônicas ativas
do que nas auto-limitadas, geralmente respondem ao tratamento.
Olho: Instile uma ou duas gotas de DECADRON COLÍRIO no saco conjuntival a cada hora durante
o dia e a cada duas horas durante a noite, como terapêutica inicial. Quando for observada uma
resposta favorável, reduza a posologia para uma gota a cada quatro horas. Posteriormente, podese
reduzir para uma gota, três a quatro vezes ao dia, para controlar os sintomas.
Ouvido: Limpe o canal auditivo completamente com material seco. Instile a solução diretamente
no conduto com o uso de um conta-gotas, três a quatro gotas, duas a três vezes ao dia. Quando
for obtida resposta favorável, reduza gradualmente a posologia e eventualmente interrompa-a.
Se julgado conveniente, o conduto auditivo pode ser preenchido com uma gaze embebida em
DECADRON COLÍRIO. Mantenha o tampão úmido com o preparado e retire-o do canal após 12 a
24 horas. O tratamento deve ser repetido quantas vezes for necessário, a critério médico.

 

Conduta na superdosagem:
Não há relatos de superdosagem com DECADRON COLÍRIO com neomicina.

 

Pacientes idosos:
As mesmas orientações dadas aos adultos devem ser seguidas para os pacientes idosos, observando-
se as recomendações específicas para grupos de pacientes descritos nos itens “Precauções
e Advertências” e “Contra-indicações”.

 

MS – 1.0573.0299
Farmacêutico Responsável: Dr. Wilson R. Farias CRF-SP nº 9555
Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A.
CNPJ 60.659.463/0001-91
Fabricado na Unidade Sousas – Rua Treze de Maio, 1161
Prédio 2B – Sousas, Campinas – SP- Indústria Brasileira
Número de lote, data de fabricação e prazo de validade:
vide embalagem externa
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

Bula do Lastacaft (Solução Oftálmica Estéril)

LastacaftBula do Lastacaft:

 

APRESENTAÇÃO

Solução Oftálmica Estéril
Frasco plástico conta-gotas contendo 3 ml de solução oftálmica estéril de alcaftadina (2,5 mg/ml).

 

VIA DE ADMINISTRAÇÃO TÓPICA OCULAR

 

USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 2 ANOS DE IDADE
COMPOSIÇÃO
Cada ml (32 gotas) contém: 2,5 mg de alcaftadina.
Veículo: cloreto de benzalcônio como conservante, edetato dissódico diidratado, fostato de sódio
monobásico monoidratado, cloreto de sódio, hidróxido de sódio e/ou ácido clorídrico (para ajuste do
pH) e água purificada.

 

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

 

1. PARA QUÊ ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?
LASTACAFT® é indicado para a prevenção da coceira nos olhos causada pelas conjuntivites
alérgicas.

 

2. COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?
LASTACAFT® é um medicamento que contém uma substância (alcaftadina) que apresenta
propriedades antialérgicas. A ação do medicamento se inicia logo após sua aplicação.

 

3. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?
LASTACAFT® é contraindicado para pessoas que apresentam alergia a qualquer um dos componentes
da sua fórmula.

 

4. O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?
Para não contaminar o colírio evite o contato do conta gotas com qualquer superfície. Não permita
que a ponta do frasco entre em contato direto com os olhos. Mantenha o frasco bem fechado
enquanto não estiver sendo utilizado.
Uso durante a Gestação e Lactação
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do
cirurgião-dentista.
Estudos sobre reprodução realizados em ratos e coelhos não revelaram evidências de alteração na
reprodução feminina ou perigos para o feto devidos à alcaftadina. Não foram realizados estudos
controlados em mulheres grávidas. Considerando que os estudos em animais nem sempre podem
prever a resposta em humanos, este medicamento deve ser utilizado durante a gestação apenas se for
absolutamente necessário.
Não se sabe se esta substância é excretada no leite humano. Considerando que muitas substâncias são
excretadas no leite humano, recomenda-se cautela quando LASTACAFT® for administrado a
mulheres durante a amamentação.
Uso em crianças
A eficácia e segurança de LASTACAFT® não foram estabelecidas em crianças com menos de 2 anos
de idade.
Uso em idosos
Não foram observadas diferenças na segurança e eficácia entre pacientes idosos e adultos mais jovens.
Pacientes que utilizam lentes de contato
LASTACAFT® não deve ser aplicado durante o uso de lentes de contato gelatinosas ou hidrofílicas.
Tire as lentes antes de aplicar LASTACAFT® em um ou ambos os olhos e aguarde pelo menos 15
minutos para recolocá-las.
Pacientes que fazem uso de mais de um medicamento oftálmico
Se você for utilizar LASTACAFT® com outros colírios, aguarde um intervalo de 5 minutos entre a
aplicação de cada medicamento.
Interferência na capacidade de dirigir veículos e operar máquinas
LASTACAFT® pode causar borramento de visão transitória após a aplicação e/ou sonolência, o que
pode interferir na capacidade de dirigir ou operar máquinas. Aguardar até que a visão retorne ao
normal antes de dirigir ou operar máquinas.
Interações medicamentosas
Não são conhecidas interações medicamentosas entre LASTACAFT® e outros medicamentos de uso
tópico ocular.
Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro
medicamento.
Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

LASTACAFT® deve ser armazenado em temperatura ambiente (entre 15 e 30º C).
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.
Após aberto, válido por 28 dias.
LASTACAFT® é uma solução límpida de coloração amarelada.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você
observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

 

6. COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?
 Você deve usar este medicamento exclusivamente nos olhos.
 Antes de usar o medicamento, confira o nome no rótulo para não haver enganos. Não utilize
LASTACAFT® caso haja sinais de violação e/ou danificações do frasco.
 A solução já vem pronta para uso. Não encoste a ponta do frasco nos olhos, nos dedos e nem em
outra superfície qualquer para evitar a contaminação do frasco e do colírio.
 Você deve aplicar o número de gotas da dose recomendada pelo seu médico em um ou ambos os
olhos.
A dose usual é de 1 gota aplicada no(s) olho(s) afetado(s), uma vez ao dia ou a critério médico. A
duração do tratamento deve ser estabelecida pelo seu médico.
 Feche bem o frasco depois de usar.
Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do
tratamento.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

 

7. O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE
MEDICAMENTO?
Você deve retornar a utilização do medicamento assim que se lembrar seguindo normalmente os
intervalos de horários entre as aplicações até o final do dia. No dia seguinte, retornar aos horários
regulares.
Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgiãodentista.

 

8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?
Em geral, LASTACAFT® é bem tolerado. Assim como para outros medicamentos, o uso de
LASTACAFT® pode causar reações indesejáveis.
Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): irritação
ocular, ardor e/ou sensação de pontadas nos olhos à instilação, vermelhidão ocular, hiperemia
(vermelhidão) conjuntival, prurido (coceira) dos olhos, prurido (coceira) no local da aplicação.
Outras reações relatadas foram: secreção ocular, inchaço dos olhos, eritema (vermelhidão) das
pálpebras, edema das pálpebras, hipersensibilidade (alergia) e sonolência.
Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia
e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos
adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico ou cirurgião-dentista.

 

9. O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A
INDICADA DESTE MEDICAMENTO?
Não foram relatados casos de superdose nos estudos clínicos. É improvável a ocorrência de superdose
com este produto baseado na dose e método de administração de LASTACAFT®. Caso ocorra
overdose, deve ser iniciado tratamento sintomático e de suporte.
Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico
e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você
precisar de mais orientações.
Reg. ANVISA/MS – 1.0147.0179
Farm. Resp.: Elizabeth Mesquita
CRF-SP nº 14.337

 

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

Qualidade e Tradição a Serviço da Oftalmologia
Registrado por: Allergan Produtos Farmacêuticos LTDA
Av. Dr. Cardoso de Melo, 1855
Bloco 1 – 13º andar – Vila Olímpia
São Paulo – CEP 04548-005
CNPJ: 43.426.626/0001-77
Fabricado por: Allergan Produtos Farmacêuticos LTDA
Guarulhos, São Paulo
Indústria Brasileira
® Marca Registrada de Allergan, Inc.
SAC: 0800-14-4077
Discagem Direta Gratuita
Papel Reciclável
© 2013 Allergan, Inc
CCDS 1.0 Jun2012_V. RA01_13