Bula do Sulfadiazina de Prata Creme (Antibiótico)

Sulfadiazina-de-Prata-CremeBula do Sulfadiazina de Prata Creme:

pote 400 g e bisnagas de 30 g e 50 g.

 

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

 

COMPOSIÇÃO
Cada g de creme contém:
sulfadiazina de prata……………………………………………………………….10mg
Excipientes: álcool cetoestearílico, lauril sulfato de sódio, vaselina
líquida, propilenoglicol, metilparabeno, propilparabeno, butil
hidroxitolueno e água deionizada.

 

INFORMAÇÕES AO PACIENTE
A sulfadiazina de prata é utilizada como antibacteriano e antifúngico
tópico.
O início da ação ocorre assim que o produto é aplicado sobre a região
afetada. O produto deve ser conservado em temperatura ambiente (entre
15 e 30 ºC), em lugar seco, fresco e ao abrigo da luz. Nestas condições o
prazo de validade é de 2 anos a contar da data de fabricação. A validade
está impressa na bisnaga ou no pote do produto.

 

NUNCA USE MEDICAMENTOS COM PRAZO DE VALIDADE
VENCIDO.
“Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez ou amamentação na
vigência do tratamento ou após o seu término”.
“Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as
doses e a duração do tratamento.”

 

NÃO INTERROMPER O TRATAMENTO SEM O CONHECIMENTO DO
SEU MÉDICO.
Informe ao seu médico o aparecimento de reações desagradáveis, como
prurido, queimação, erupção cutânea e vermelhidão.

 

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE
DAS CRIANÇAS.
A sulfadiazina de prata creme não deve ser utilizada durante o último trimestre
de gravidez, durante a lactação e em pacientes alérgicos às sulfonamidas.

 

NÃO TOME MEDICAMENTOS SEM O CONHECIMENTO DO SEU
MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE.

 

INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Através da inibição competitiva, as sulfonamidas impedem a
incorporação do ácido p-aminobenzóico durante a biossíntese do ácido
diidrofólico, funcionando dessa forma como antimetabólico. A aplicação
clínica desse antimetabólico fundamenta-se em sua toxicidade seletiva,
ou seja, na elevada toxicidade para a bactéria e pequena toxicidade para
o homem, e isto se deve às diferenças bioquímicas entre as células de
ambos.
A sulfadiazina de prata exerce efeito bactericida contra muitos
microrganismos Gram-positivos e Gram-negativos, bem como leveduras
e Candida albicans. Pode atingir concentrações terapêuticas (até 8 a 12
mg / 100 ml) quando usado em áreas extensas do corpo. As sulfonamidas
sofrem alterações metabólicas in vivo, sobretudo no fígado. O principal
derivado metabólico é a sulfonamida N – acetilada. As sulfonamidas são
eliminadas sob três formas principais: a) inalterada; b) conjugada com
ácido glicurônico e c) conjugada com o grupo acetil (acetilação). A maior
fração é excretada na urina, de modo que a meia-vida das sulfonamidas
no organismo depende da função renal. São eliminadas pequenas
quantidades nas fezes e na bile, bem como no leite e em outras
secreções.

 

INDICAÇÕES
Prevenção e tratamento de infecções bacterianas e fúngicas de feridas
causadas por queimaduras, tratamento tópico de infecções bacterianas
da pele e de úlcera dérmica, prevenção e tratamento de feridas com
sulfadiazina de prata
Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999

 

LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE USAR O PRODUTO
grande potencial de sepse, como queimaduras, úlceras varicosas,
escaras de decúbito e feridas cirúrgicas infectadas. Ação profilática contra
infecções em cateterismos venosos e arteriais.

 

CONTRA-INDICAÇÕES
Pacientes alérgicos as sulfonamidas (sulfadiazina de prata), furosemida,
diuréticos tiazídicos, sulfaniluréia ou inibidores da anidrase carbônica.
Pacientes com discrasias sangüíneas, como anemia megaloblástica
decorrente de deficiência de folato (as sulfonamidas podem causar
discrasias sangüíneas) ou com deficiência de glucose-6-fosfato
desidrogenase (podem ocorrer hemólises). Em pacientes com função
hepática ou função renal prejudicada (as sulfonamidas são
metabolizadas no fígado; metabolismo demorado pode aumentar o risco
de toxicidade; também, as sulfonamidas podem causar necrose hepática
fulminante, necrose tubular ou nefrite intersticial). As sulfonamidas podem
precipitar um ataque agudo de porfiria.
A sulfadiazina de prata está contra-indicada em casos de gravidez a
termo. Crianças prematuras e recém-nascidos no primeiro mês de vida,
quando a área a ser tratada for superior a 25 % da superfície corporal
queimada, não devem utilizar a sulfadiazina de prata. Não deve ser
utilizado no tratamento de infecção profunda estabelecida.

 

PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS
Pacientes sensíveis aos diuréticos tiazídicos, furosemida, inibidores de
anidrase carbônica, sulfaniluréia, ou sulfonamidas podem ser sensíveis
também a sulfadiazina de prata. Nestes casos, o emprego da sulfadiazina
de prata pode conduzir à sensibilização resultando em reações de
hipersensibilidade com o uso tópico ou sistêmico subseqüente à
medicação.

 

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS
No uso tópico concomitante de sulfadiazina de prata com enzimas
proteolíticas, pode ocorrer a inativação destas enzimas pela prata.
As interações mais importantes das sulfonamidas incluem aquelas
observadas com anticoagulantes, sulfoniluréias hipoglicemiantes e
anticonvulsionantes de tipo hidantoína. Em cada caso, as sulfonamidas
podem potencializar os efeitos do outro fármaco através de mecanismos
que parecem envolver principalmente a inibição do metabolismo e, talvez,
o deslocamento do fármaco da albumina. Pode ser necessário ajustar a
posologia com a administração concomitante de sulfonamidas.

 

REAÇÕES ADVERSAS
Prurido, queimação, erupções cutâneas, vermelhidão, edema ou outro
sinal de irritação e leucopenia transitória.

 

POSOLOGIA
A terapia tópica deve ser iniciada o mais cedo possível. A sulfadiazina de
prata deve ser aplicada 2 vezes ao dia. Limpar diariamente a área afetada
e espalhar a sulfadiazina de prata diretamente sobre a ferida até cobrí-la
totalmente. Aplicar cerca de 1,5 mm de creme sobre a área afetada.
O curativo deve ser do tipo contensivo ou aberto nos cantos, nos casos
em que a área afetada não sofra atrito.

 

SUPERDOSAGEM
Em casos de sensibilização ou casos evidentes da absorção excessiva da
sulfadiazina de prata, suspender o tratamento. A ação das sulfonamidas
é antagonizada pelo PABA e seus derivados como procaína e tetracaína.

 

PACIENTES IDOSOS
Pacientes idosos são especialmente sensíveis aos efeitos das
sulfonamidas. Dependendo da absorção cutânea do produto, pode
desenvolver-se reações adversas típicas das sulfonamidas a nível da
pele e discrasias sangüíneas, especialmente em pacientes que utilizam
diuréticos. Pacientes idosos devem seguir rigorosamente a orientação
médica.

 

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
Reg. M.S. 1.2568.0037
Farmacêutico Responsável: Dr. Luiz Donaduzzi CRF-PR 5842
PRATI, DONADUZZI & CIA LTDA
Rua Mitsugoro Tanaka, 145
Centro Industrial Nilton Arruda Toledo – PR
CNPJ 73.856.593/0001-66
INDÚSTRIA BRASILEIRA
Site: www.pratidonaduzzi.com.br
[email protected]
CAC 0800 709 9333
FONE (45) 3277-1166