Bula do Nyolol Gel (Antiglaucomatoso)

Nyolol-GelBula do Nyolol® gel:
maleato de timolol
1 mg/mL
Forma farmacêutica e apresentação
Gel oftálmico: frasco conta-gotas contendo 5 mL.
USO ADULTO

 

Composição
Cada mL do gel contém: 1,37 mg de maleato de timolol (equivalente a 1,00 mg de timolol
base); excipientes: cloreto de benzalcônio (conservante), carbopol, lisina monoidratada,
álcool polivinílico, acetato triidratado de sódio, sorbitol e água para injeção.

 

INFORMAÇÕES AO PACIENTE
Ação esperada do medicamento: Nyolol gel tem como substância ativa o maleato de
timolol que atua na redução da pressão intraocular nos casos de hipertensão ocular e
glaucoma de ângulo aberto crônico.

 

Cuidados de armazenamento: Nyolol gel deve ser conservado sob refrigeração
(temperatura entre 2 – 8°C) e protegido da luz.

 

Prazo de validade: o prazo de validade está impresso no cartucho. Não utilizar o produto
após a data de validade. Não utilizar o produto por mais de 30 dias após a abertura do
frasco.

 

Gravidez e lactação: Informe seu médico sobre a ocorrência de gravidez na vigência do
tratamento ou após o seu término. Nyolol gel não deve ser utilizado durante a gravidez a não
ser que os benefícios sejam superiores aos riscos. A substância ativa, maleato de timolol é
absorvida pelo sistema circulatório e excretado no leite. A amamentação não é recomendada
durante o tratamento com Nyolol gel.

 

Cuidados de administração: Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os
horários, as doses e a duração do tratamento. O produto permanece estéril até que o lacre
de fechamento seja rompido. Feche o frasco imediatamente após o uso.
Interrupção do tratamento: Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu
médico.

 

Reações adversas: Algumas reações indesejáveis foram observadas nos estudos clínicos
com o maleato de timolol e podem ocorrer durante seu uso, tais como: hiperemia suave,
sensação de corpo estranho, dor aguda/queimação imediatamente após a instilação no olho.
Foram observadas reações cardíacas e respiratórias, incluindo broncoespasmo fatal em
pacientes asmáticos e, raramente, morte em associação com insuficiência cardíaca.
Ocasionalmente pode ocorrer: dor de cabeça, astenia, cansaço, dores no peito, náusea,
síncope, lentidão dos batimentos cardíacos, dispnéia, conjuntivite, ceratite, alterações na
refração (em alguns dos casos devido ao cessar da terapia miótica), depressão, tontura,
exacerbação de sinais e sintomas de miastenia grave. Raramente pode ocorrer: hipotensão,
palpitações, arritmias, insuficiência cardíaca congestiva, bloqueio atrioventricular, parada
cardíaca, isquemia cerebral, distúrbio vascular cerebral, erupção cutânea, coceira, alopecia,
broncoespasmo (particularmente em pacientes com condições broncoespasmódicas préexistentes),
insuficiência respiratória, inflamação das pálpebras, queda das pálpebras
superiores, visão dupla, sensibilidade da córnea reduzida. Informe seu médico o
aparecimento de reações desagradáveis.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
Uso concomitante de outras substâncias: Se outros antiglaucomatosos de aplicação
tópica forem indicados, deve haver um intervalo de pelo menos 5 minutos entre a instilação
das medicações (ver item Posologia).
Contra-indicações e precauções: O paciente não deve utilizar outros medicamentos
juntamente com Nyolol gel sem orientação ou conhecimento do médico. Informe seu médico
sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.
Usuários de lentes de contato: Nyolol gel não deve ser usado com lentes de contato.
Contra-indicações: pacientes que apresentam alergia ao produto ou pacientes com
problemas pulmonares ou cardíacos de diversas origens (ver o item Contra-indicações).

 

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE.

 

INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Farmacodinâmica
Grupo farmacoterapêutico: preparações antiglaucoma e mióticos, agentes beta-bloqueadores
O timolol é um beta-bloqueador não seletivo que não tem nenhuma atividade de estimulação
cardíaca, depressão cardíaca direta ou anestésica local (estabilização de membrana)
significante. Quando aplicada topicamente nos olhos, Nyolol gel reduz tanto a pressão
intraocular elevada quanto a normal. Embora todo o mecanismo de ação do maleato de
timolol não seja conhecido, acredita-se que a pressão intraocular é reduzida pela diminuição
da produção do humor aquoso. Nyolol gel pode também ter um efeito menor no sistema de
drenagem do humor aquoso.
Diferente dos mioticos, maleato de timolol reduz a pressão intraocular com pequeno efeito no
tamanho da pupila ou da acuidade visual. Portanto, distúrbio de visão ou cegueira noturna
não ocorre assim como com o uso de mióticos. Em pacientes com catarata, o prejuízo da
visão, causada pela opacidade lentiocular quando a pupila está contraída, é evitada.
O início da redução da pressão intraocular após administração ocular de maleato de timolol
geralmente pode ser detectado dentro de 30 minutos após o gotejamento nos olhos. O efeito
máximo é alcançado dentro de aproximadamente 2 horas após administração e redução
significante da pressão ocular pode ser mantida por períodos de 24 horas.

 

Farmacocinética
Nyolol gel 0,1% é um colírio de formulação em gel, que, devido a sua característica química
particular, maximiza a absorção do medicamento nos olhos e reduz sua absorção pelo
sistema circulatório.
A absorção sistêmica após administração tópica de maleato de timolol 0,1% mostrou ser
reduzido em 90% quando comparado ao timolol solução 0,5%. Isto se deve a dose diária 10
vezes menor de maleato de timolol. Nyolol gel 0,1% teve um efeito significativamente
pequeno no pico da frequência cardíaca em um teste de exercício quando comparado com
timolol solução 0,5%.
Dados de farmacocinética de estudos em voluntários sadios mostraram que o valor médio da
concentração plasmática máxima é 0,18 ng/mL quando Nyolol gel 1mg/g é administrado uma
vez ao dia, que é aproximadamente 10 vezes menor do que aquele alcançado após duas
doses diárias de timolol solução 5 mg/mL.

 

Dados de segurança Pré-clínicos
Nenhum efeito adverso local foi observado em coelhos ou cachorros recebendo maleato de
timolol por administração ocular por 4 semanas.
Maleato de timolol não foi mutagênico e não afetou a fertilidade em ratos.

Estudos de carcinogenicidade produziram um aumento na incidência de feocromocitomas em
ratos machos, e adenomas mamários, tumores pulmonares e pólipos uterinos em
camundongos, mas apenas em doses orais altas.
Aplicações repetidas de Nyolol gel não produziram nenhuma intolerância local ou sistêmica
em coelhos ou cachorros.

 

Carcinogenicidade
Em um estudo oral de dois anos em ratos machos, houve um aumento estatisticamente
significante na incidência de feocromocitoma adrenal com a administração de 300 mg/kg/dia
de maleato de timolol. Com a administração de 500 mg/kg/dia de maleato de timolol em um
estudo oral vitalício em camundongos, houve um aumento estatisticamente significante na
incidência de adenocarcinoma mamário, tumor pulmonar maligno e benigno, e pólipos
uterinos benignos.

 

Mutagenicidade
Quando avaliado in vivo nos testes de micronúcleos e ensaio citogênico em camundongos, e
in vitro em um ensaio de transformação neoplásica celular, maleato de timolol não
apresentou potencial mutagênico.

 

Reprodução e fertilidade
Em doses até 125 vezes a dose oral máxima para humanos, nenhum efeito adverso na
fertilidade de ratos ou ratas foram observados.

 

Indicações
Nyolol gel é usado para reduzir a pressão intraocular nas seguintes condições:
– Hipertensão ocular;
– Glaucoma crônico de ângulo aberto.

 

Contra-indicações
Assim como todos os produtos que contém agentes bloqueadores de receptores beta, Nyolol
gel é contra-indicado em pacientes com:
• Asma brônquica;
• Histórico de broncoespasmo ou Doença pulmonar obstrutiva grave;
• Bradicardia sinusal
• Bloqueio atrioventricular
• Insuficiência cardíaca manifesta
• Choque cardiogênico
• Transtorno circulatório periférico grave (Doença de Raynaud´s) e transtornos
periféricos
• Angina de Prinzmetal
• Feocromocitoma não-tratada
• Hipotensão
• Transtornos da córnea
• Hipersensibilidade ao maleato de timolol ou a qualquer componente da formulação
ou agentes beta-bloqueadores
• Rinite alérgica grave ou hiper-reatividade brônquica
Nyolol gel também é contra-indicado em casos de associação com amiodarona (Veja o item
“Interações Medicamentosas”).

 

Precauções e Advertências
Como outros medicamentos oftálmicos aplicados topicamente, maleato de timolol foi
absorvido na circulação sistêmica que pode causar efeitos sistêmicos similares aos
observados com agentes beta-bloqueadores orais. Portanto, deve ser usado com precaução
em pacientes com síndrome sinusal doentia e acidose metabólica.
Hipotensão prolongada grave foi observado em alguns pacientes após administração de
beta-bloqueadores sistêmicos durante anestesia. Como algum grau de absorção sistêmica
não pode ser excluído, uma retirada gradual de Nyolol gel é recomendada antes da cirurgia
marcada. Assim como beta-bloqueadores sistêmicos, se a descontinuação de Nyolol gel for
necessário em pacientes com doença coronariana, a terapia deve ser retirada gradualmente.

 

Insuficiência cardíaca deve ser adequadamente controlada antes de iniciar o tratamento com
Nyolol gel. Pacientes com história de doença cardíaca severa devem ser monitorados para
os primeiros sinais de possível insuficiência cardíaca. Agentes beta-bloqueadores podem
mascarar certos sintomas de hipertiroidismo, por exemplo, taquicardia.

 

Pacientes suspeitos de desenvolver tirotoxicose devem ser observados cuidadosamente
para evitar retirada abrupta do agente beta-bloqueador, que pode causar uma crise da
tireóide.

 

Pacientes diabéticos devem ser aconselhados a reforçar o automonitoramento da sua
glicemia no começo do tratamento. Sinais e sintomas da hipoglicemia, especialmente
taquicardia, palpitações e suor podem ser mascarados.
Risco de reações anafiláticas: Pacientes com histórico de atopia ou de reações anafiláticas
graves a diferentes alérgenos podem ser mais sensíveis a alérgenos expostos
repetidamente. A exposição pode ser acidental, durante o diagnóstico ou tratamento. Quando
Nyolol gel é usado nestes pacientes, a dose usual de epinefrina usada para tratar reações
anafiláticas pode não ser efetiva.

 

Reações respiratórias e cardíacas, incluindo morte devido a broncoespasmo em pacientes
com asma ou, raramente, morte associada à insuficiência cardíaca foram relatadas.
A administração concomitante de inibidores de MAO deve ser evitada.
Deve-se ter precaução se utilizado Nyolol gel com beta-bloqueadores sistêmicos.
O uso de Nyolol gel com outros beta-bloqueadores tópicos não é recomendado.
Nyolol gel tem pequeno ou nenhum efeito na pupila. Quando este gel é usado para reduzir a
pressão intraocular em pacientes com glaucoma de ângulo fechado, deve ser usado em
combinação com miótico. Nestes pacientes, o objetivo imediato do tratamento é abrir o
ângulo pela constrição da pupila com um agente miótico.
Nyolol gel contém cloreto de benzalcônio como conservante. O cloreto de benzalcônio pode
precipitar na lentes de contato. Nyolol gel não foi estudado em pacientes que usam lentes de
contato, e portanto não deve ser usado com lentes de contato.
Assim como com qualquer outro tratamento de glaucoma, exames regulares da pressão
intraocular e da córnea são recomendados.

 

Gravidez e lactação: O uso de Nyolol gel durante a gravidez não foi estudada. Betabloqueadores
reduzem a perfusão placentária, que pode resultar na morte fetal ou parto
prematuro. Adicionalmente, efeitos indesejáveis, especialmente hipoglicemia e bradicardia,
também pode ocorrer em fetos e neonatos. Há um aumento do risco de complicações
cardíacas e pulmonares em um neonato que é exposto à um agente beta-bloqueador.
Portanto, Nyolol gel não deve ser usado durante a gravidez a menos que haja um claro
benefício. Em casos de tratamento até o momento do parto, monitoramento do neonato
(coração e glicemia pelos primeiros 3 a 5 dias de vida) é recomendado.
A substância ativa maleato de timolol é absorvido no sistema circulatório e excretado no leite
materno tendo o potencial de causar sérios efeitos indesejáveis na criança ou na lactante.
Portanto não é recomendado o uso do medicamento durante a amamentação.

 

Efeitos na habilidade de dirigir ou utilizar máquinas
Nenhum estudo sobre o efeito deste medicamento na habilidade de dirigir foi realizado.
Deve-se considerar que distúrbios visuais ocasionalmente podem ocorrer incluindo
alterações refrativas, diplopia, ptoses, episódios freqüentes de visão borrada leve e
transiente e episódios ocasionais de tontura e fadiga quando dirigir veículos ou operar
máquinas..

 

Interações medicamentosas
Embora Nyolol gel tenha um pequeno efeito no tamanho da pupila, ocasionalmente foi
relatado midríase quando usado com agentes midriáticos como a epinefrina.
Quando Nyolol gel é administrado em pacientes recebendo agentes beta-bloqueadores orais,
tanto a redução da pressão intraocular como os efeitos sistêmicos do beta-bloqueadores
podem ser intensificados. A resposta destes pacientes deve ser observada.
O uso concomitante de glicosídeos digitálicos e beta-bloqueadores pode reduzir a condução
atrioventricular.
Beta-bloqueadores e clonidina podem aumentar o risco de hipertensão rebote.
A natureza de qualquer efeito adverso cardiovascular tende a depender do tipo de bloqueio
de canal de cálcio usado. Derivados de diidropiridina, como a nifedipina, pode levar a
hipotensão, enquanto que o verapamil e diltiazem tende a causar distúrbios de condução
atrioventricular ou insuficiência cardíaca do ventrículo esquerdo quando combinado com
beta-bloqueadores.
Medicamentos antiarrítmicos de classe I (ex. disopiramida, quinidina) e amiodarona podem
ter um efeito potencial na condução atrial e então induzir um efeito inotrópico negativo.
A descontinuação da terapia beta-bloqueadora antes de uma cirurgia importante deve ser
considerada. Uso concomitante com medicamentos anestésicos podem atenuar a taquicardia
compensatória e aumentar o risco de hipotensão. O anestesista deve ser informado se o
paciente está usando Nyolol gel.
Insulina e medicamentos antidiabéticos orais podem reduzir ainda mais a concentração de
glicose na sangue e os beta-bloqueadores podem mascarar os sinais de hipoglicemia
(taquicardia).
Recomenda-se que pacientes tomando medicamentos depletores de catecolaminas (ex.:
reserpina), em adição aos beta-bloqueadores, sejam estritamente monitorados. Há
possibilidade de efeitos aditivos e de hipotensão e/ ou bradicardia marcante, que pode
causar tontura, síncope ou hipotensão ortostástica. Se pacientes fazendo uso de betabloqueadores
também receberem bloqueadores de canal de cálcio por via oral, há um risco
potencial de hipotensão, distúrbios da condução AV e insuficiência cardíaca do ventrículo
esquerdo.
A cimetidina pode aumentar a concentração de timolol no plasma.
As associações que requerem precaução de uso são: licodaína i.v.; produtos de contraste de
iodo.

 

Reações adversas
Como outros produtos oftálmicos tópicos, maleato de timolol pode ser absorvido
sistemicamente. podendo ocorrer os mesmos efeitos indesejáveis relacionados à
administração de beta-bloqueadores orais.
Distúrbios do sistema imune: lúpus eritematoso sistêmico.
Distúrbios psiquiátricos: depressão, insônia, pesadelos, perda de memória.
Distúrbios do sistema nervoso: síncope, transtorno cerebrovascular, isquemia cerebral,
aumento dos sinais e sintomas de miastenia gravis, tontura, parestesia, dor de cabeça.
Distúrbios da visão: sintomas de irritação ocular incluindo conjuntivite, blefarite, ceratite e
redução da sensibilidade da córnea. Visão borrada por curto tempo pode ocorrer em 30 a
50% dos pacientes. Outras reações possíveis são irritação dos olhos (queimação), dor
(aguda), distúrbios visuais, incluindo alterações na refração (em alguns casos devido à
interrupção da terapia miótica), diplopia e ptose. Ressecamento dos olhos foi relatado
durante a terapia com beta-bloqueador.
Distúrbios cardíacos: bradicardia, bloqueio atrioventricular (completo ou de menor grau) ou
piora de um bloqueio atrioventricular existente, insuficiência cardíaca, arritmia, palpitação,
parada cardíaca e dor no peito.

Distúrbios vasculares: hipotensão, fenômeno Raynaud e claudicação.

Distúrbios respiratórios, torácicos e do mediastino: broncoespasmo (predominantemente
em pacientes com doença broncoespástica pré-existente), insuficiência respiratória, dispnéia
e tosse.
Distúrbios gastrointestinais: náusea, diarréia, dispepsia, boca seca..
Distúrbios do tecido cutâneo e sub-cutâneo: reações de hipersensibilidade incluindo rash
locais e generalizadas, eritema, urticária, alopecia, lesões tipo psoríase ou exacerbações da
psoríase.
A incidência de sintomas é baixo, e em maioria dos casos os sintomas desaparecem após a
descontinuação do tratamento. O uso do medicamento deve ser descontinuado se qualquer
tipo de reação não for explicável. Sabe-se que o cloreto de benzalcônio causa alergia em
pacientes sensíveis.
Distúrbio do tecido músculo-esquelético e conectivo: artropatia
Distúrbios do sistema reprodutivo e mama: disfunção sexual, doença de Peyronie.
Distúrbios gerais e de administração: fadiga, astenia.
Reações sem conhecimento da relação causal: as seguintes reações adversas ocorreram
com o uso da administração sistêmica de maleato de timolol: edema macular afática cistóide,
congestão nasal, anorexia, dispepsia, efeitos do sistema nervoso central (confusão,
alucinação, ansiedade, desorientação, nervosismo, sonolência e outros distúrbios
psiquiátricos), hipertensão e fibrose retroperitoneal. Os efeitos adversos vistos no maleato de
timolol oral podem ocorrer com o uso tópico de Nyolol gel.

 

Posologia
Adulto: A dose recomendada é instilar 1 gota de Nyolol gel no olho afetado 1 vez ao dia,
preferencialmente pela manhã.
Pacientes idosos: a posologia indicada acima pode ser usada para pacientes idosos.
Como a resposta ao tratamento pode levar algumas semanas para estabilização, a pressão
intraocular deve ser checada após cerca de 2 a 4 semanas de tratamento com Nyolol gel.
Se for necessário, Nyolol gel pode se usado concomitantemente a mióticos, epinefrina,
análagos da prostaglandina, alfa-2-agonitas e/ou inibidores da anidrase carbônica. Para
evitar que a substância ativa seja removida dos olhos, um intervalo de pelo menos 5 minutos
entre a instilação de diferentes medicações é necessário, e Nyolol gel deve ser o último a ser
administrado.

 

Substituição de um tratamento anterior
Quando Nyolol gel for administrado em substituição à outra solução oftálmica betabloqueadora,
descontinue este medicamento após um dia completo de tratamento e inicio o
tratamento com Nyolol gel no dia seguinte. Instile 1 gota de Nyolol gel no olho afetado 1 vez
ao dia, preferencialmente pela manhã.
Quando Nyolol gel for administrado em substituição a uma solução oftálmica
antiglaucomatosa não beta-bloqueadora, continue com o agente já utilizado por um dia e
adicione 1 gota de Nyolol gel 1 vez ao dia. No dia seguinte, descontinue o agente
antiglaucomatoso previamente utilizado e continue com Nyolol gel.

 

Método de administração
Nyolol gel é para ser instilado no saco conjuntival. As medicações para glaucoma devem ser
utilizadas continuamente a menos que o médico determine ao contrário.
Para aplicação de uma dose correta, segure o frasco na posição vertical durante a
administração.
O produto permanece estéril até que o lacre de fechamento seja rompido. Feche o frasco
imediatamente após o uso. Não utilizar o produto por mais de 30 dias após a abertura do

A absorção sistêmica pode ser reduzida com o uso de oclusivos nasolacrimais ou
fechamento as pálpebras por 5 minutos. Estas ações podem resultar na diminuição dos
efeitos adversos sistêmicos e aumento da atividade local.
Superdose
Não há dados específicos disponíveis referentes a esta formulação. Os sintomas mais
comuns causados por superdose de um beta-bloqueador são bradicardia sintomática,
hipotensão, broncoespasmo e insuficiência cardíaca aguda.

 

Pacientes idosos
Não existem advertências ou recomendações especiais sobre o uso do produto por
pacientes idosos. A posologia indicada para adultos pode ser usada para pacientes idosos.

 

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
Reg. MS – 1.0068.0884
Farm. Resp.: Marco A.J. Siqueira CRF-SP 23.873
® = Marca registrada de Novartis AG, Basiléia, Suíça
Fabricado por: Excelvision AG, Hettlingen, Suíça
Importado por:
Novartis Biociências S.A. – Av. Ibirama, 518 – Complexos 441/3 – Taboão da Serra – SP
CNPJ: 56.994.502/0098-62 – Indústria Brasileira
Lote, data de fabricação e de validade: vide cartucho
BPI 27.11.08
2008-PSB/GLC-0165-s