Bula do Macrodantina (Antibiótico)

MacrodantinaBula do MACRODANTINA®:
nitrofurantoína
Cápsulas

 

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO
MACRODANTINA apresenta-se em cartuchos com 28 cápsulas.
Cada cápsula contém 100 mg de nitrofurantoína.
Ingredientes inativos: amido, talco e lactose.

 

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

 

INFORMAÇÃO AO PACIENTE
MACRODANTINA é um agente antibacteriano para uso nas infecções urinárias.
MACRODANTINA deve ser conservada em temperatura ambiente (15°C a 30°C), protegido da luz.
O prazo de validade de MACRODANTINA encontra-se gravado na embalagem externa. Em caso de
vencimento, inutilize o produto.
Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após seu término.
Informar ao médico se está amamentando.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do
tratamento.
Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis, como perda do apetite, náuseas,
vômitos, dor abdominal e diarréia durante o tratamento.

 

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

 

Informar ao médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o
tratamento.

 

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO
PARA A SAÚDE.
INFORMAÇÃO TÉCNICA
A nitrofurantoína, agente antibacteriano específico do trato urinário, age de forma original por
interferir nos vários sistemas enzimáticos da bactéria sem ocasionar resistência bacteriana, nem
mesmo a transferível.
MACRODANTINA, nitrofurantoína em macrocristais, permite o retardamento da solubilidade no
aparelho gastroentérico, reduzindo com isso os efeitos indesejáveis (náuseas e vômitos) sem,
contudo, modificar sua concentração na excreção urinária. A nitrofurantoína assegura a obtenção
dos máximos níveis plasmáticos entre 4 a 5 horas após a sua administração. Difunde-se em nível
renal, pelo tecido intersticial; é secretada, reabsorvida e novamente excretada pelos túbulos renais
em cerca de 50% ao final de 8 horas.
A nitrofurantoína é excretada por via renal, em forma ativa, sendo particularmente eficaz contra:
Escherichia coli, Enterococcus faecalis e Staphylococcus aureus.
A nitrofurantoína, sendo altamente solúvel na urina, confere-lhe uma coloração amarelada.
O reduzido teor de eliminação biliar e fecal explica por que não atinge a microbiota bacteriana
intestinal normal, a qual conserva-se inalterada e equilibrada.

 

INDICAÇÕES
Tratamento das infecções urinárias agudas e crônicas, produzidas por bactérias sensíveis à
nitrofurantoína, como: cistites, pielites, pielocistites e pielonefrites.

 

CONTRA-INDICAÇÕES

Anúria, oligúria ou comprometimento significativo da função renal (depuração de
creatinina abaixo de 40 mL/minuto). O tratamento destes pacientes apresenta um
aumento do risco de toxicidade devido a redução da excreção da nitrofurantoína.
Na fase final da gestação e em crianças com menos de um mês de idade, devido a
possibilidade de anemia hemolítica, motivada pela imaturidade do sistema enzimático.
Hipersensibilidade à nitrofurantoína.

 

PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS
Reações pulmonares agudas, subagudas e crônicas foram observadas em pacientes
tratados com a nitrofurantoína. Caso ocorram, o tratamento deverá ser suspenso e
deverão ser tomadas as medidas apropriadas.
Casos de anemia hemolítica, semelhantes aos que ocorrem por sensibilidade à
primaquina, foram relatados. Em qualquer sinal de hemólise, é indicada a suspensão do
tratamento, pois ela é reversível com a retirada do medicamento.
A segurança da nitrofurantoína na gravidez e lactação não foi estabelecida, razão pela
qual, o seu emprego nestas condições exige avaliação criteriosa dos riscos e benefícios.
A neuropatia periférica poderá raramente ocorrer em pacientes portadores de diabetes,
hipovitaminose B, nefro ou hepatopatia, anemia e doenças debilitantes. A redução
posológica ou a suspensão do medicamento geralmente promove a reversão desse
quadro clínico.
A nitrofurantoína, sendo altamente solúvel na urina, confere-lhe uma coloração
amarelada.
REAÇÕES ADVERSAS
Anorexia, náuseas e vômitos poderão ocorrer, além de dor abdominal e diarréia. A
incidência desses sintomas é reduzida com a ingestão do medicamento acompanhado
de leite ou alimento sólido.
Cefaléia, tontura, sonolência e mialgias são controláveis da mesma forma ou com a
administração de medicação auxiliar. Erupções cutâneas, febre, calafrios, icterícia,
eosinofilia e reações pleuropulmonares poderão ocorrer em pacientes hipersensíveis ao
fármaco. A supressão do medicamento assegura o imediato desaparecimento desses
sintomas.

 

POSOLOGIA
Adultos – 50 a 100 mg, 4 vezes por dia, durante 7 a 10 dias.
Crianças – 5 a 7 mg por kg de peso/dia, divididos em 4 vezes por dia, durante 7 a 10 dias.
Observação: A terapêutica deverá ser continuada, no mínimo por mais 3 dias, após a urina
tornar-se estéril. Caso a infecção persista, será necessária a reavaliação do caso. Se necessário o
uso do medicamento por longo prazo, a redução da dose deverá ser considerada.

 

SUPERDOSAGEM
Este medicamento deve ser usado somente na dose recomendada. Se você utilizar grande
quantidade deste medicamento, procure imediatamente socorro médico levando a bula do produto.
Pode-se, alternativamente, solicitar auxílio ao Centro de Assistência Toxicológica da região, o qual
deve fornecer as orientações para a superdose em questão.

 

MS 1.0093.0062
Farm.Resp.: Lucia Lago Hammes – CRF-RJ 2804
MANTECORP INDÚSTRIA QUÍMICA E FARMACÊUTICA LTDA.
Estrada dos Bandeirantes, 3.091 – Rio de Janeiro – RJ
CNPJ: 33.060.740/0001-72 – Indústria Brasileira
® Marca Registrada
Produzido e embalado por:
Mappel Laboratórios Farmacêuticos Ltda
Rua Gravataí, 16 e 24 – Rio de Janeiro – RJ
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

Central de Atendimento 08000117788 (logo)
O número do lote, a data de fabricação e o término do prazo de validade estão gravados na
embalagem externa deste produto.
mac15