Bula do Maalox (Antiácido)

MaaloxBula do MAALOX®:
hidróxido de alumínio
hidróxido de magnésio
simeticona

 

APRESENTAÇÕES
Suspensão oral sabor menta: frasco com 240 mL.
Suspensão oral sabor cereja: frasco com 240 mL.
USO ORAL. USO ADULTO E PEDIÁTRICO.

 

COMPOSIÇÃO
MAALOX sabor menta:
Cada 5 mL de suspensão oral contém 185 mg de hidróxido de alumínio gel, 200 mg de hidróxido de
magnésio (pasta) e 25 mg de simeticona emulsão a 30%.
Excipientes: sorbitol solução, ácido cítrico anidro, metilparabeno, propilparabeno, sacarina sódica,
manitol, essência de menta piperita, peróxido de hidrogênio a 35%, água purificada.
MAALOX sabor cereja:
Cada 5 mL de suspensão oral contém 185 mg de hidróxido de alumínio gel, 200 mg de hidróxido de
magnésio (pasta) e 25 mg de simeticona emulsão a 30%.
Excipientes: sorbitol solução, ácido cítrico anidro, metilparabeno, propilparabeno, sacarina sódica,
manitol, essência de cereja, corante vermelho FD&C n° 40, peróxido de hidrogênio a 35%, água
purificada.

 

1. INDICAÇÕES
Este medicamento é destinado ao tratamento sintomático da azia associada ao refluxo gástrico,
esofagite de refluxo, hérnia de hiato e hiperacidez.
Também é utilizado como antiflatulento para alívio dos sintomas do excesso de gases, inclusive nos
quadros pós-operatórios.

 

2. RESULTADOS DE EFICÁCIA
Maalox é um medicamento composto por hidróxido de alumínio, hidróxido de magnésio e simeticona,
utilizado no tratamento dos sintomas da azia associada ao refluxo gástrico, esofagite de refluxo,
hérnia de hiato, hiperacidez e antiflatulencia.
A eficácia em neutralizar a acidez gástrica dos componentes de Maalox em comparação com
ranitidina, é confirmada por Hunter et al. (1) envolvendo 79 pacientes, citando a semelhança dos dois
tratamentos. Bianchi Porro G. et al. (2) também confirmou a eficácia dos componentes de Maalox em
um estudo duplo cego randomizado com 78 pacientes portadores de alterações gástricas, divididos
em 2 grupos recebendo tratamento com Maalox e cimetidina, apresentando como resultados os
índices de cura de 66.7% de no grupo de pacientes usuários de cimetidina e 71.8% de cura no grupo
de usuários de Maalox.
Gasbarrini G. et al. (3) e Faaij RA, et al. (4) em seu estudo também mostrou que antiácidos são
eficazes na proteção da mucosa gastrointestinal, por conseqüência, no tratamento de doenças
pépticas, como azia.
Cucchiara S, et al. (5) em seu estudo para tratamento de refluxo gástrico esofágico e esofagite de
refluxo, envolvendo 33 crianças com idade entre 2 e 42 meses (média de 9 meses), confirma que
antiácidos como Maalox são tão eficazes quanto cimetidina e grupo placebo. Iacono G, et al.(6)
também confirmou em seu estudo envolvendo crianças com idade entre 1 mês e 8 anos, portadoras
de refluxo gástrico esofágico, a eficácia do uso de antiácidos nessa patologia.

 

3. CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS
MAALOX é uma formulação com propriedades antiácidas e antiflatulentas, pois contém hidróxido de
alumínio, hidróxido de magnésio e simeticona. O hidróxido de alumínio e o hidróxido de magnésio
neutralizam a acidez gástrica e a simeticona, um polímero de sílica, é importante no tratamento da
aerofagia, promovendo a eliminação dos gases excessivos acumulados no trato gastrintestinal que
contribuem para o aumento da acidez local.

 

4. CONTRAINDICAÇÕES
MAALOX não deve ser utilizado nos seguintes casos:
– Hipersensibilidade aos componentes da fórmula;
– Insuficiência renal severa;
– Pacientes com hipofosfatemia;
– Gravidez;
– Amamentação;
– Obstrução intestinal.
Este medicamento é contraindicado para uso por Insuficiência renal severa.

 

5. ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES
A administração de MAALOX deve ser realizada com cautela:
– em pacientes com porfiria que estejam fazendo hemodiálise, pois nesses casos, o hidróxido de
alumínio pode ser inseguro;
– na vigência de dietas pobres em fósforo, o hidróxido de alumínio pode provocar deficiência de
fósforo no organismo (hipofosfatemia).
Não é aconselhável ultrapassar as doses recomendadas ou prolongar o tratamento por mais de 14
dias (com a dose máxima).
O uso prolongado de antiácidos contendo alumínio por pacientes normofosfatêmicos pode resultar
em hipofosfatemia se a quantidade de fosfato ingerida não for adequada.
Gravidez e lactação
A paciente deve informar seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o
seu término. Informar ao médico se está amamentando.
Categoria de risco na gravidez: C Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres
grávidas sem orientação médica.
Populações especiais
Em pacientes com insuficiência renal, a administração de MAALOX deve ser realizada sob vigilância
médica, uma vez que o hidróxido de magnésio pode causar depressão do sistema nervoso central na
presença deste distúrbio.
Em pacientes com insuficiência renal, os níveis plasmáticos de alumínio e magnésio aumentam e por
isso, a exposição prolongada a altas doses de sais de alumínio e de magnésio pode causar
encefalopatia, demência, anemia microcítica ou piora da osteomalácia induzida por diálise.
Não há advertências e recomendações especiais sobre o uso adequado desse medicamento por
pacientes idosos.

 

6. INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS
– O uso de antiácido concomitante com quinidinas pode levar ao aumento do nível plasmático de
quinidina, levando a sua superdose, contraindicando a associação.
– Antiácidos contendo alumínio podem impedir a adequada absorção de antagonistas H2, atenolol,
metoprolol, propanolol, cloroquina, ciclinas, diflunisal, etambutol, cetoconazol, fluorquinolonas,
digoxina, indometacina, glicocorticóides, isoniazida, levodopa, difosfonatos, fluoreto de sódio,
poliestirenossulfonato de sódio, lincosamidas, neurolépticos fenotiazínicos, penicilamina, tetraciclina,
nitrofurantoína, sais de ferro: devido à possibilidade de diminuição da absorção gastrintestinal destas
substâncias, são associações que merecem precauções. Recomenda-se que MAALOX seja
administrado 2 horas antes ou depois da ingestão destes medicamentos. Para fluorquinolonas devese
respeitar um intervalo de 4 horas.
– A administração do antiácido concomitante com citratos: provoca um aumento dos níveis de
alumínio, especialmente em pacientes com insuficiência renal.
– Salicilatos: ocorre aumento da excreção renal dos salicilatos por alcalinização da urina. Já o lactitol,
por reduzir a acidificação das fezes, não deve ser associado com MAALOX em virtude do risco de
encefalopatias hepáticas.

 

7. CUIDADOS DE ARMAZENAMENTO DO MEDICAMENTO
MAALOX deve ser mantido em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC), proteger da luz.
Prazo de validade: 24 meses a partir da data de fabricação.
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem
original.
Características físicas e organolépticas
MAALOX sabor menta apresenta-se como suspensão branca com odor de menta.
MAALOX sabor cereja apresenta-se como suspensão rosa com odor de cereja.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

 

8. POSOLOGIA E MODO DE USAR
Não é aconselhável ultrapassar as doses recomendadas ou prolongar o tratamento por mais de 14
dias (com a dose máxima).
A administração de MAALOX pode ser:
Crianças: 1 colher de chá, 1 a 2 vezes ao dia.
Adultos: 1 a 2 colheres de sobremesa, 4 vezes ao dia.
Cada colher de chá corresponde a 5 mL, enquanto que de sobremesa corresponde a 10 mL.
MAALOX pode reduzir a absorção de certos medicamentos como: fenitoína, digoxina e agentes
hipoglicemiantes (vide item Interações medicamentosas), por esse motivo deve ser administrado 2
horas antes ou depois do uso destes medicamentos.
Não há estudos dos efeitos de MAALOX administrado por vias não recomendadas. Portanto, por
segurança e para garantir a eficácia deste medicamento, a administração deve ser somente por via
oral.

 

9. REAÇÕES ADVERSAS
Podem ocorrer reações desagradáveis, tais como: regurgitação, náusea, vômito ou diarréia leve.
Reações adversas são incomuns nas doses recomendadas. Pode ocorrer diarreia ocasional ou
constipação, caso sejam administradas doses excessivas.
Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária –
NOTIVISA, disponível em www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para a Vigilância
Sanitária Estadual ou Municipal.

 

10. SUPERDOSE
Em caso de ingestão acidental de doses muito acima das preconizadas, recomenda-se adotar as
medidas habituais de controle das funções vitais.
Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

 

DIZERES LEGAIS
Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas, procure orientação
médica.

 

MS 1.1300.0314
Farm. Resp.: Antonia A. Oliveira
CRF-SP n° 5.854
Fabricado por:
Sanofi-Aventis de México S.A. de C.V.
Acueducto Del Alto Lerma, n° 2
52740 – Zona Industrial – Ocoyoacac
Edo. de Mexico
Registrado e Importado por:
Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda.
Rua Conde Domingos Papais, 413
CEP 08613-010 – Suzano – SP
CNPJ 02.685.377/0008-23
Indústria Brasileira
® Marca Registrada
IB050209B