Bula do Folifer (Antianêmico)

FoliferBula do FOLIFER:
Ferro Aminoácido Quelato + Ácido Fólico

 

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO
Comprimidos Revestidos: caixa com 30 comprimidos.

 

USO ADULTO

 

COMPOSIÇÃO
Comprimidos Revestidos – cada comprimido contém:
Ferro Aminoácido Quelato (equivalente a 30 mg de Ferro Elementar)…………………………………150 mg
Ácido Fólico…………………………………………………………………………………5 mg

 

Excipientes: Amido de Milho, Estearato de Magnésio, Polietilenoglicol
Talco corante, Dióxido de Titânio, Copolímero Ácido Metacrílico

 

INFORMAÇÒES AO PACIENTE
FOLIFER (Ferro Aminoácido Quelato + Ácido Fólico) foi desenvolvido para suprir as necessidades de Ferro e Ácido Fólico em pacientes que estão necessitando de um maior aporte nutricional como as gestantes ou em pacientes com anemias causadas pela carência dessas substâncias.
CUIDADOS DE CONSERVAÇÃO: O medicamento deve ser conservado ao abrigo do calor excessivo, da umidade, da luz e em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC).

 

Prazo de validade: 24 meses após a data de fabricação
Verifique a data de fabricação no cartucho

Não use medicamento com o prazo de validade vencido

 

CONDUTA NA GRAVIDEZ E LACTAÇÃO: Não há contra-indicação do uso de FOLIFER (Ferro Aminoácido Quelato + Ácido Fólico) durante a gravidez e lactação, ao contrário, seu uso está indicado nestas duas situaçòes onde o consumo de Ferro e Ácido Fólico está aumentado. Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após seu término. Informar se estiver amamentando.

 

CUIDADOS NA ADMINISTRAÇÃO:
A utilização do Ferro no tratamernto das anemias e a prevenção das mesmas se faz sempre por administração prolongada. A interrupção precoce pode impedir a formação de reservas de ferro e ocasionar recidivas de doença em curto espaço de tempo. FOLIFER (Ferro Aminoácido Quelato + Ácido Fólico) não tem sua absorção prejudicada pela presença de alimentos (ovos, leite, café, chá), sendo inclusive recomendada sua administração próximo as refeições. Não se recomenda sua utilização concomitantemente com as Tetraciclinas. Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico.
REAÇÕES ADVERSAS: A estabilidade do Ferro Aminoácido Quelato é preservada tanto em meio ácido como alcalino, por isto, é bem tolerado e geralmente não produz os sintomas gastrintestinais, porém, diarréia, vômitos e náuseas podem ocorrer em indivíduos muito sensíveis. Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando antes do início ou durante o tratamento.

 

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS

 

CONTRA-INDICAÇÕES: É contra-indicado a pacientes que apresentem hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula. Pacientes com anemia por carência de vitamina B12 não devem fazer uso de Ácido Fólico.

 

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE.

 

INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Absorção do Ferro Aminoácido Quelato: Os minerais quelatos, de uma forma geral, não sofrem ionização no tubo gastrintestinal devido a sua estabilidade no pH ácido do estômago e alcalino no intestino delgado. FOLIFER (Ferro Aminoácido Quelato + Ácido Fólico), ao contrário, dos outros produtos compostos por sais ferrosos, não têm sua absorção prejudicada por componentes da dieta como fitatos, oxalatos e fibras. O Ferro Aminoácido Quelato é absorvido como tal, ocupando sistemas enzimáticos de absorção pré-existentes (gama-glutamil transpeptidase). A ação enzimática sobre o Ferro Aminoácido Quelato permite que este composto alcance o interior da célula e daí seja transferido para o sangue e distribuído para órgãos alvos como medula óssea, baço, fígado e para as própriashemácias. No fígado é armazenado como Ferritina. A absorção do Ferro aminoácido Quelato é 3 vezes superior a do sulfato ferroso.

 

Reservas orgânicas de Ferr: A melhor absorção do FOLIFER (Ferro Aminoácido Quelato + Ácido Fólico) permite uma maior biodisponibilidade do ferro terapêutico e consequentemente uma maior rapidez na saturação das reservas orgânicas com menores doses de ferro elementar. Atinge-se este objetivo em 4 a 6 semanas de terapêutica (como sulfato ferroso estas reservas são saturadas em 4 a 6 meses de tratamento com doses 3 a 4 vezes maiores). A manutenção destas reservas é mantida com doses equivalentes a dose terapêutica diária, mas administrada em 1 ou 2 vezes por semana. Cinética do Ferro: O Ferro é absorvido pela mucosa intestinal e fica disposto no seu interior sob duas formas: uma mais estável ligada à Ferritina e outra mais lábil que é mobilizada quando necessário. Parte do ferro ligado a ferritina pode ser utilizado na medula para síntese de hemoglobina. Na gestante o ferro é transportado pela transferrina materna, alcança as vilosidades placentárias onde é captado pelo epitélio corionico e armazenado para em seguida se ligar a transferrina do feto para ser utilizado para produção das hemácias. Ácido Fólico e Associação com o Ferro: A prevenção e o tratamento da anemia exigem duas etapas para uma real eficiência terapêutica ou profilática. Uma se refere a multiplicação celular a nível de medula óssea, fato que ocorre quando há suprimento de Ácido Fólico para a duplicação do DNA. A outra se refere a incorporação do Ferro a molécula de hemoglobina. Para tanto é necessário que este oligoelemento alcance os tecidos formadores dos glóbulos vermelhos em concentrações adequadas. O conhecimento dessas necessidades exigia um medicamento no qual fosse possível administrar estas duas substâncias concomitante, mas com os sais comuns de ferro nunca foi possível obter uma estabilidade confiável no produto. A não dissociação do Ferro Aminoácido Quelato permitu elaborar um produto com ferro associado ao ácido fólico de alta estabilidade, bem tolerado pelo sabor agradável, de posologia bastante simplificada e resposta terapêutica com doses e tempos inferiores aos necessários pelos sais comuns. As anemias ferroprivas originadas tanto por baixa ingestão de ferro como por situações fisiológicas que a demanda deste ion é excessiva nem sempre, portanto, vão responder a simples administração de ferro, isto porque, muitas vezes, ela vai estar associada a deficência também do Ácido Fólico. Assim crianças prematuras estão predispostas a desenvolver anemia ferropriva por não ter sido possível armazenar ferro devido a interrupção precoce da gravidez, mas por outro lado as necessidades de Ácido Fólico nestas crianças é extremamente elevada pela intensa multiplicação celular que ocorre durante o crescimento. Lactantes, principalmente os alimento com leite de vaca “in natura”ou leites pulverizados não enriquecidos apresentam com frequência, intensa deficiência de Ácido Fólico, associada ao Ferro. Gestantes e lactantes apresentam uma demanda excessiva tanto do ácido fólico como do ferro. Nas gestantes, o ácido é importante na prevenção das malformações do tubo neural.

 

INDICAÇÕES:
FOLIFER (Ferro Aminoácido Quelato + Ácido Fólico) está indicado em todas as situações fisiológicas ou patológicas que exigem administração do Ferro e/ou Ácido Fólico como medicação preventiva ou terapêutica. Inúmeras são as situações clínicas em que FOLIFER (Ferro Aminoácido Quelato + Ácido Fólico) pode ser prescrito, entre as quais destacamos:
Profilaxia e tratamento da anemia ferropriva do pré-escolar e adolescente,
Profilaxia e tratamento da anemia e ainda, na prevenção de malformações do tubo neural na gestante,
Profilaxia e tratamento da anemia e complemento fólico na lactante,
Profilaxia e tratamento da anemia ferropriva em crianças, adultos e idosos.

 

CONTRA-INDICAÇÕES: É contra-indicado como medicação única no tratamento da anemia perniciosa e outras anemias megaloblásticas decorrentes da deficiência de vitamina B12, por causa da presença de Ácido Fólico em sua composição. É contra-indicado aos que apresentam hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula.

 

PRECAUÇÕES: Os compartimentos de reserva de ferro no organismo são saturados em curto espaço de tempo e com doses relativamente baixas. Com FOLIFER (Ferro Aminoácido Quelato + Ácido Fólico) quando comparamos com as doses e tempos necessários com os sais comuns. em casos de anemias mais severas é recomendável o controle destas reservas dos níveis de Ferritina sérica ( em torno de 50 mcg/l). Uma vez que atingido este valor, pode-se passar para uma terapêutica de manutenção com dose semanal.

 

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS: A ingestão excessiva de ferro e ácido fólico pode interferir com a absorção intestinal do zinco. As tetraciclinas têm sua absorção prejudicada pelos compostos ferrosos comuns. Embora ainda não se tenha nenhuma confirmação sobre este efeito com o Ferro Aminoácido Quelato, é recomendável evitar a administração de FOLIFER (Ferro Aminoácido Quelato + Ácido Fólico) concomitantemente com este grupo de antimicrobianos.
REAÇÕES ADVERSAS: Não tem sido observado os sintomas gastrintestinais comuns aos compostos ferrosos, tais como: diarréia, constipação, dor abdominal, náuseas e vômitos e esta tolerância ainda é maior se administrar o medicamento 40 a 60 minutos antes das principais refeições.

 

POSOLOGIA
Adultos:
Terapêutico: 1 a 2 comprimidos ao dia
Profilático: 1 a 2 comprimidos/semana
*Duração Terapêutica: Para o tratamento da anemia recomenda-se a administração em uma ou duas tomadas ao dia, 1 hora antes das refeições, pelo períoco de 4 a 6 semanas. A Dose de Manutenção poder ser administrada em um único dia da semana ou fracionada em 2 ou 3 tomadas na semana. Nas situações de demanda excessiva como a gestação e lactação, a dose deve ser diária, durante todo o período.

 

SUPERDOSAGENS: A ingestão acidental ou voluntária de doses excessivas de Ferro Aminoácido Quelato + Ácido Fólico não é tão perigosa como nas intoxicações com os sais comuns de ferro, pois a DL50 em ratos é cerca de 3 vezes menos para o Ferro Aminoácido Quelato. De qualquer forma, ocorrência desta situação exige procedimentos de rotina para esvaziamento gástrico e administração de eméticos. Nos casos mais graves é necessário a administração de Desferroxamina por via endovenosa ou oral.
Advertências e recomendações para pacientes com idade superior a 65 anos: Não existe nenhuma restrição para o uso deste medicamento nesta faixa etária.

 

ATIVUS FARMACÊUTICA LTDA.
Rua: Fonte Mécia n° 2.050 – CEP 13270-000
Caixa Postal 489 – Valinhos/SP
C.G.C.M.F. n° 64.088.172/0001-41
Indústria Brasileira
M.S. n° 1.1861.0056
Farm. Resp.: Dra. Roselaine Nunes – CRF-SP n°13614
N° do Lote, Data de Fabricação e Prazo de Validade: vide cartucho.