Bula do Atroveran Composto Gotas (Antiespasmódico)

Atroveran-GotasBula do Atroveran:

ANALGÉSICO ANTIESPASMÓDICO EM GOTAS
cloridrato de papaverina + ASSOCIAÇÃO
COMPOSTO
Forma farmacêutica e apresentação:
Solução oral. Cartucho contendo frasco de vidro com 30 mL.
USO ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO

 

Composição: cada 40 gotas (1,0 mL) contém:
cloridrato de papaverina …………………………………………………………………. 0,010 g
dipirona sódica ……………………………………………………………………………… 0,333 g
extrato fluido de Atropa belladona, Linné (contém 0,075 mg/mL de sulfato de
hiosciamina) ……………………………………………………………………………… 0,006 g
extrato de Hyoscyamus niger, Linné (contém 0,0135 mg/mL de scopolamina
hydrobromide) ……………………………………………………………………. 0,006 g
extrato de Peumus boldus (contém 0,0142 mg/mL de boldina) ……… 0,012 g
veículo* q.s.p. ………………………………………………………………………….. 1,000 mL
*óleo essencial illicium verum, álcool etílico, metilparabeno, propilparabeno,
ciclamato de sódio, sacarina sódica, propilenoglicol e água de osmose
reversa.

 

Informações ao paciente: cólica, agora, não é mais problema para as mulheres.
ATROVERAN acaba com essa dor incômoda que quase sempre acompanha a
menstruação. E, por consequência, acaba também com a indisposição e o mau
humor provenientes dessa dor. ATROVERAN contém em sua fórmula papaverina,
eficiente antiespasmódico que age diretamente nas causas da cólica,
proporcionando alívio imediato, além de conter também componentes analgésicos
e estimulantes de funções digestivas. Tenha sempre ATROVERAN em
casa. Assim, você pode sair à hora que quiser. E não à hora que a cólica deixar.

 

Ação esperada do medicamento: ATROVERAN encontra sua aplicação
terapêutica nos estados espasmódicos e dolorosos, nas cólicas espásticas.
Os sinais de melhora nos sintomas podem ocorrer em um prazo variável de
dias, após o início do tratamento. Seu médico é a pessoa adequada para
dar-lhe mais informações sobre o tratamento; siga sempre suas orientações.
Não devem ser utilizadas doses superiores às recomendadas. A interrupção
repentina deste medicamento não causa efeitos desagradáveis, nem riscos,
apenas cessará o efeito terapêutico.

 

Cuidados de armazenamento: conservar em temperatura ambiente (entre 15 e
30°C) e proteger da luz e umidade.
Prazo de validade: 24 meses a partir da data de fabricação.
Ao comprar qualquer medicamento, verifique o prazo de validade.
Atenção: não use medicamento com o prazo de validade vencido. Além de não
obter o efeito desejado, você poderá prejudicar sua saúde.

Gravidez e lactação: informe ao seu médico a ocorrência de gravidez na vigência
do tratamento ou após o seu término. Informe ao médico se está amamentando.

 

Cuidados de administração: siga sempre a orientação do seu médico, respeitando
os horários, as doses e a duração do tratamento.

 

Interrupção do tratamento: a interrupção repentina deste medicamento não
causa efeitos desagradáveis, nem riscos, apenas cessará o efeito terapêutico.

 

REAÇÕES ADVERSAS: EM ALGUNS CASOS, O PRODUTO PODE PRODUZIR,
TRANSITÓRIAS NA MAIORIA DAS VEZES, ALGUMAS REAÇÕES DESAGRADÁVEIS,
COMO NÁUSEAS, VÔMITOS, PRISÃO DE VENTRE, SECURA DA
BOCA, TONTEIRA, TAQUICARDIA, SINTOMAS GASTRINTESTINAIS. SE ESTES
SINTOMAS PERSISTIREM, CONSULTE IMEDIATAMENTE O SEU MÉDICO.
INFORME AO SEU MÉDICO O APARECIMENTO DE REAÇÕES DESAGRADÁVEIS.

 

“TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO
ALCANCE DAS CRIANÇAS.”

 

Durante o tratamento, recomenda-se evitar a ingestão de bebidas alcoólicas.

 

CONTRAINDICAÇÕES: O PRODUTO É CONTRAINDICADO PARA PACIENTES
QUE APRESENTAREM ANTECEDENTES DE HIPERSENSIBILIDADE A
QUALQUER UM DOS COMPONENTES DA FÓRMULA.

 

PRECAUÇÕES: O PRODUTO NÃO DEVE SER ADMINISTRADO A PACIENTES QUE
FAÇAM USO DE MEDICAÇÃO ENTORPECENTE, HIPNÓTICA E BARBITÚRICA.
INFORME AO SEU MÉDICO SOBRE QUALQUER MEDICAMENTO QUE ESTEJA
USANDO, ANTES DO INÍCIO, OU DURANTE O TRATAMENTO.

 

“NÃO TOME MEDICAMENTO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO,
PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE.”

 

INFORMAÇÕES TÉCNICAS: características químicas e farmacológicas:
• cloridrato de papaverina – é o mais importante derivado do grupo benzílico
quinolínico dos alcalóides do ópio. Exerce ação antiespasmódica enérgica
sobre a musculatura lisa, aliviando o fenômeno dor nos espasmos do piloro,
do esôfago, da bexiga, dos canais hepáticos, da vesícula biliar, dos ureteres
e do útero.
• dipirona – A dipirona, quimicamente o fenil-dimetil-pirazolona-metilaminometanossulfonato
sódico, é um agente analgésico e antitérmico de largo
uso clínico, tanto isolado como combinado a outros medicamentos.
• Atropa belladona – Encerra alcalóides de ação sobre atividade motora
excessiva, como peristalse, pilorospasmos e espasticidade reflexa do cólon.
• Hyoscyamus niger ou meimendro – é de grande utilidade clínica, porque
deprime as extremidades nervosas sensoriais, proporcionando ação analgésica
e sedativa.
• Peumus boldus – da família das monimiaceae, é um estimulante das funções
digestivas, age sobre a célula hepática, aumentando a secreção biliar.

 

Indicações: indicado como medicação analgésica e antiespasmódica.

 

CONTRAINDICAÇÕES: ESTÁ CONTRAINDICADO EM PACIENTES PORTADORES
DE GLAUCOMA DE ÂNGULO AGUDO, DE HIPERTROFIA PROSTÁTICA. O USO DE
DIPIRONA, EM CASOS DE AMIGDALITE OU QUALQUER OUTRA AFECÇÃO DA
BUCO-FARINGE, DEVE MERECER CUIDADO REDOBRADO: ESTA AFECÇÃO PRÉ-
-EXISTENTE PODE MASCARAR OS PRIMEIROS SINTOMAS DE AGRANULOCITOSE
(ANGINA AGRANULOCÍTICA), OCORRÊNCIA RARA, MAS POSSÍVEL,
QUANDO SE FAZ USO DE PRODUTO QUE CONTENHA DIPIRONA. SEU USO
DEVE SER EVITADO NOS PRIMEIROS TRÊS MESES E NAS ÚLTIMAS SEIS
SEMANAS DA GESTAÇÃO E, MESMO FORA DESTES PERÍODOS, DIPIRONA
SOMENTE DEVE SER ADMINISTRADA A GESTANTES EM CASOS DE ABSOLUTA
NECESSIDADE. PACIENTES COM ASMA OU INFECÇÕES RESPIRATÓ-
RIAS CRÔNICAS, BEM COMO PACIENTES COM HIPERSENSIBILIDADE A
QUALQUER TIPO DE SUBSTÂNCIAS, PODEM DESENVOLVER CHOQUE. EM
PACIENTES COM DISTÚRBIOS HEMATOPOIÉTICOS, DIPIRONA SOMENTE
DEVE SER ADMINISTRADA SOB CONTROLE MÉDICO.

 

REAÇÕES ADVERSAS: QUANDO USADO EM DOSES ACIMA DAS RECOMENDADAS,
O PRODUTO PODERÁ OCASIONAR NÁUSEAS, TAQUICARDIA, TONTEIRA
E CONGESTÃO FACIAL. A PAPAVERINA BASE FREQUENTEMENTE
CAUSA ELEVAÇÃO DA FOSFATASE ALCALINA NO PLASMA, INDICATIVO DA
HEPATOTOXICIDADE. EM PACIENTES SENSÍVEIS, INDEPENDENTEMENTE
DA DOSE, A DIPIRONA PODE PROVOCAR REAÇÕES DE HIPERSENSIBILIDADE.
AS MAIS GRAVES, EMBORA BASTANTE RARAS, SÃO CHOQUE E DISCRASIAS
SANGUÍNEAS (AGRANULOCITOSE, LEUCOPENIA E TROMBOCITOPENIA),
QUE É SEMPRE UM QUADRO MUITO GRAVE. PACIENTES COM
HISTÓRIA DE REAÇÃO DE HIPERSENSIBILIDADE A OUTRAS DROGAS OU
SUBSTÂNCIAS PODEM CONSTITUIR UM GRUPO DE MAIOR RISCO E APRESENTAR
EFEITOS COLATERAIS MAIS INTENSOS, ATÉ MESMO CHOQUE.
NESTE CASO, O TRATAMENTO DEVE SER IMEDIATAMENTE SUSPENSO E
TOMADAS AS PROVIDÊNCIAS MÉDICAS ADEQUADAS. EM SITUAÇÕES OCASIONAIS,
PRINCIPALMENTE EM PACIENTES COM HISTÓRICO DE DOENÇA
RENAL PRÉ-EXISTENTE OU EM CASOS DE SOBREDOSAGEM, HOUVE DISTÚRBIOS
RENAIS TRANSITÓRIOS COM OLIGÚRIA OU ANÚRIA, PROTEINÚ-
RIA E NEFRITE INTERSTICIAL. PODEM SER OBSERVADOS ATAQUES DE
ASMA EM PACIENTES PRÉ-DISPOSTOS A TAL CONDIÇÃO.

 

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS: AINDA NÃO FORAM TOTALMENTE RELACIONADAS
AS INTERAÇÕES DO PRODUTO COM OUTRAS DROGAS E/OU
MEDICAMENTOS.
Posologia:
• Solução – 40 gotas em um cálice d’água, 10 minutos antes das refeições,
por duas a três vezes ao dia. Em casos especiais, serão aumentadas as doses,
que podem ser de 40 a 80 gotas de cada vez. As crianças tomarão a metade
ou o terço da dose indicada, conforme o caso.
Superdosagem: a lavagem gástrica e outras medidas para limitar a absorção
intestinal devem ser procedidas sem demora. Procure imediatamente seu
médico.

 

“SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR; NÃO DESAPARECENDO OS
SINTOMAS, PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA.”

 

Venda sem prescrição médica.
Número do lote, data de fabricação e prazo de validade: vide cartucho/rótulo.

Reg. MS – 1.7287.0035 – Farmacêutica Responsável: Dra. Regina Célia Barros
Dias – CRF-SP nº 46.833 – Hypermarcas S/A Av. Fernando Cerqueira César
Coimbra, 1000 – Barueri – SP – CNPJ 02.932.074/0013-25 – Indústria Brasileira